Duffy relembra sequestro onde foi drogada e estuprada: “Estava em perigo”

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Recentemente a cantora Duffy falou abertamente sobre o motivo de ter parado a carreira artística. Artista foi violentada sexualmente e mantida em cativeiro. Por causa desse ocorrido, ela teve que mudar de casa cinco vezes para fugir do abusador. Em nova declaração, a cantora disse se sentir mais segura.

“Demorou
tanto tempo pra eu falar, porque depois que fui estuprada e mantida em
cativeiro, eu fugi. Eu me mudei cinco vezes nos três anos seguintes, nunca me
sentindo a salvo do estuprador. Eu fiquei fugindo por muito tempo. Encontrei um
lugar para morar, a quinta casa, não era tão sufocante quanto as outras casas,
onde sofri silenciosamente, em pequenas casas ou apartamentos. Neste lugar em
que eu ficaria solitária nos anos seguintes, achei minha estabilidade para me
recuperar, parei de fugir e me realoquei. Eu senti que ele não poderia me achar
na quinta casa, eu me senti segura. Me sinto segura agora”, declarou ela.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na mensagem,
Duffy disse que pretende usar do momento difícil que viveu, para ajudar outras
pessoas.

“Estamos
num momento de preocupação, não vimos nada assim desde a Segunda Guerra
Mundial. Temos de pensar no impacto que temos uns nos outros”, afirmou
ela. A cantora apoia a quarentena para evitar a propagação do novo coronavírus.

Duffy disse
que fugir, mudar de casa, se esconder, fazia do criminoso um “companheiro”, que
parecia viver junto com ela. A cantora chegou pensar em mudar de país e mudar o
próprio nome. “Eu sonhava em ter um corte de cabelo diferente, um novo
nome, um namorado e ser completamente esquecida”. Mas sumir significava
admitir o fracasso e a machucava mais.

“O estupro me tirou meus direitos humanos, de viver uma vida com autonomia. Ele roubou um terço da minha vida. (…) O catalisador final disso foi pensar: ‘Eu não posso mais suportar ese peso’. Tão simples, e tão profundo, me fazendo sair da prisão dentro de mim”, contou.

Veja também:

Famoso cantor brasileiro fica em estado grave com coronavírus e tudo é mantido em segredo

Em 2008, a artista foi responsável pelo smash hit mundial “Mercy” e a cantora chegou a receber na carreira 3 Brits Awards e um Grammy por “Melhor Álbum Pop”.

Você só pode imaginar a quantidade de vezes que pensei em escrever isso. Da maneira que eu escreveria, como me sentiria depois. Bem, não sei ao certo porque agora é a hora certa, e como é libertador para mim. Não posso explicar”, deu início a cantora.

“Muitos de vocês se perguntam o que aconteceu comigo, para onde eu desapareci e por quê. Um jornalista entrou em contato comigo, encontrou uma maneira de me achar e eu contei tudo a ele o que aconteceu no verão passado. Ele foi gentil e eu me senti tão incrível em finalmente falar. A verdade é que, por favor, confie em mim. Eu estou bem agora e segura. Fui estuprada, drogada e mantida em cativeiro por alguns dias. Claro que sobrevivi. Uma recuperação leva tempo. Não há uma maneira leve de dizer isso, mas posso dizer que na última década, os milhares e milhares de dias que eu me comprometi a querer sentir o sol novamente em meu coração, o sol que agora brilha”, acrescentou.

Você quer saber por que eu não escolhi usar minha voz para expressar minha dor? Eu não queria mostrar ao mundo a tristeza em meus olhos. Me perguntei como posso cantar do coração se ele está quebrado? E lentamente ele se consertou”, continuou o relato.

Duffy disse também que pretende explicar tudo com mais calma. “Nas semanas seguintes eu vou postar uma entrevista falada. Se você tiver alguma dúvida, eu gostaria de respondê-las na entrevista falada, se eu puder. Eu tenho um amor sagrado e um apreço pela delicadeza de vocês ao longo dos anos. Vocês foram meus amigos. Eu quero agradecer por isso”, concluiu o texto.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio