Eduardo Costa diz que Brumadinho “cheira corpo e morte” e causa polêmica

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em uma maré de polêmicas, outra chegou para Eduardo Costa, desta vez sobre uma infeliz declaração sobre Brumadinho (MG), onde o rompimento de uma barragem de rejeitos matou mais de 250 pessoas.

A fala de Eduardo aconteceu durante uma transmissão ao vivo no Instagram, onde respondia a perguntas de fãs. O cantor revelou que iria promover uma live com show no YouTube futuramente e que o local da apresentação poderia ser Brumadinho.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Não está 100% definido. Estamos procurando um lugar. Como a cidade foi devastada, é difícil um lugar em Brumadinho para se fazer qualquer tipo de evento. A cidade está totalmente devastada. Aquele lugar cheira corpo, morte. Só quem passa lá que vê”, disse.

VEJA TAMBÉM: Katy Perry diz que filha mostrou dedo do meio em ultrassom: “Essa é a minha garota”

Eduardo Costa passou a ser muito criticado nas redes sociais diante de sua declaração. A prefeitura de Brumadinho divulgou uma nota para repudiar a fala do cantor. Os governantes, porém, falaram que Eduardo apenas cometeu um erro: “queremos crer que o cantor, talvez por falta de informação sobre a real situação do município, tenha cometido um equívoco que possa e precisa ser reparado”.

Leia toda a nota:

“Nota de repúdio

Sobre o vídeo de Eduardo Costa acerca de sua live ser gravada em Brumadinho, a prefeitura lamenta e repudia a infeliz colocação que fez o cantor ao se referir ao nosso município.

Eduardo Costa é um artista que sempre teve um carinho enorme por Brumadinho e esse carinho sempre foi recíproco por parte da população.

Por isso, queremos crer que o cantor, talvez por falta de informação sobre a real situação do município, tenha cometido um equívoco que possa e precisa ser reparado.

Nossa gente, apesar de todas as dificuldades enfrentadas, traz no peito um amor imensurável, uma coragem que só o brumadinhense parece ter e a garra de se reerguer moral e socialmente.

E por sermos um povo acolhedor, queremos receber aqui aqueles que estejam dispostos a nos ajudar a reescrever a nossa história.”

Ocorrido em 25 de janeiro de 2019, o rompimento da barragem em Brumadinho foi o maior acidente de trabalho da história do Brasil. E também, o segundo maior desastre industrial do século.

A barragem da Mina Córrego do Feijão era controlada pela Vale S.A. e acumulava rejeitos de uma mina de ferro na região de Córrego do Feijão. Morreram, ao todo, 259 pessoas, além de outras 11 seguirem desaparecidas. O Corpo de Bombeiros procura, até hoje, os corpos daqueles que não foram localizados.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio