O astro norte-americano Elvis Presley (FOTO: Reprodução)

“Burning Love” é um dos maiores sucessos do cantor Elvis Presley porém isso não significa que ele gostou da música.

A faixa de sucesso do músico segue uma linha de canções sobre amor e sexo que compara a intimidade a uma experiência religiosa. Assim como “Hallelujah” de Leonard Cohen, “Like a Prayer” de Madonna e “Religion” de Lana Del Rey.

Enquanto todas essas canções são pelo menos semi-sérias, “Burning Love” se destaca entre elas. 

Durante uma entrevista à Rolling Stone, o baterista do músico, Ronnie Tutt disse que ele e outros tentaram fazer Elvis retornar às suas raízes musicais em sua carreira. 

“Burning Love” é muito semelhante ao material inicial do Rei do Rock ‘n’ Roll do que suas baladas dos anos 1960. No entanto, ele ainda tinha problemas com a música.

VEJA MAIS: Site expõe dossiê sobre supostas traições de Nego do Borel; confira!

“Basicamente, tentamos influenciá-lo a fazer mais rock ‘n’ roll”, disse o baterista. “Burning Love ’tinha algum potencial. Ele nunca se sentiu confortável com isso porque ele tinha dificuldade com aquelas letras”, ele contou.

E por qual motivo o astro não gostou da letra de “Burning Love?” Segundo informações do livro Elvis Presley: Caught in a Trap, o cantor achou a letra estranha. 

Quando o artista gravou a música, ele acrescentou letras que faziam referência a um de seus sucessos anteriores. Perto do final da faixa, ele canta que é um “pedaço de amor ardente”.

O que é uma referência ao seu clássico “A Big Hunk o Love”, de 1960 que alcançou o primeiro lugar na Billboard Hot 100.

Depois de gravar “Burning Love”, Elvis Presley comentou como era difícil encontrar boas canções de hard rock.

Além disso, o guitarrista da música, Emory Gordy Jr., ficou envergonhado com a faixa final. Ele contou que parecia: “Um solo de baixo com Elvis Presley”, disse o músico.

Comprovando o sucesso de Elvis, na época, a canção alcançou o segundo lugar na Billboard Hot 100.