elvis presley
O astro norte-americano Elvis Presley (FOTO: Reprodução)

No início dos anos 1950, Elvis Presley fez sucesso pelos EUA propagando o dançante rock n’ rock — e, com isso, irritando conservadores e religiosos pelos passos abruptos, interpretados como obscenos, em músicas seculares sobre amor e coisa cotidianas. Por Aventuras na História.

A oportunidade para a construção de uma imagem séria surgiu de um convite dos Serviços Especiais do Exército dos EUA no ano de 1958. Presley poderia ser recrutado para entreter as tropas e viver em habitações prioritárias, com a garantia da segurança. O astro aceitou, mas preferiu servir como soldado comum, sem regalias, resultando em um amadurecimento publicitário.

Elvis com Anita (esq.) e com Priscilla (dir.)
(FOTO: Reprodução)

Presley topou se instalar na base militar estadunidense na Alemanha, mas deixaria nos Estados Unidos sua maior companheira na época; a namorada Anita Wood.

Com a mãe, Gladys, recém-falecida, Elvis contou com o apoio da companheira antes de sua ida para a Europa. Na época com 19 anos, a jovem chegou a desistir de atuar e recusou um grande contrato com a Paramount a pedido do companheiro.

(FOTO: Reprodução)

VEJA TAMBÉM: Bruno pergunta se Gusttavo Lima está sofrendo por amor e cantor responde

Se por um lado o comentado relacionamento promovia a garota na mídia, a ideia do empresário de Elvis, Coronel Parker, não contava com Wood nos planos. De acordo com o Express, ele acreditava que Presley deveria se manter publicamente solteiro para atiçar as fãs e parecer mais acessível — fato que o astro não fazia questão de seguir até 1960.

Perto de retornar aos Estados Unidos, o cantor conheceu Priscilla Beaulieu, nascida nos EUA, que tinha apenas 14 anos de idade. Com a intensa cobertura midiática sobre o retorno do Rei do Rock aos EUA, o fato não passou em branco, com Priscilla sendo relatada pela imprensa como a “namorada ‘alemã’ misteriosa”. O fato já era motivo de incômodo para Wood, que descobriu ainda mais sobre o caso quando o companheiro retornou.

Durante os dois anos seguintes ao retorno do astro, Elvis Presley costumava reservar envelopes rosas em meio a montanhas de presentes de fãs; tratavam-se de cartas de Priscilla, que eram correspondidas até 1962, quando o cantor fez questão de levar a jovem para os Estados Unidos.

(FOTO: Reprodução)

Segundo o Express, através de biografias de Elvis, Priscilla foi levada para a América após a promessa do cantor aos sogros de que a garota não sairia de Memphis. Wood, no entanto, ouviu uma conversa do namorado com o pai, Vernon, sobre tal proposta.

Quando eu estava descendo as escadas dos fundos para a cozinha, ouvi Elvis dizer ‘estou tendo mais dificuldade para decidir entre as duas’”, disse Anita em entrevista ao Express.