emicida
O rapper paulistano Emicida (FOTO: Divulgação)

O rapper Emicida desconvenceu a ida das pessoas aos protestos em favor da democracia e contra o racismo, agendados para este domingo, em algumas cidades do Brasil. Em um vídeo postado em seu Instagram, o artista apelou à população que seja racional e evite, além de uma contaminação maior do coronavírus, possíveis atitudes autoritárias e arbitrárias do governo de Jair Bolsonaro.

“Eu não vou ao protesto que estão organizando no domingo”, diz Emicida. E continua: “se vocês derem uma busca, vocês vão ver que vários infectologistas e epidemiologistas sérios estão chamando isso de genocídio”.

O cantor pontua também o grande risco de aumento em até 150% no número de casos da doença no Brasil nos próximos dias.

Sem mencionar o nome do presidente, Emicida diz que “a irresponsabilidade e a irracionalidade de quem tinha que conduzir esse país para melhor, ainda vai matar muita gente”. E alerta: “o contágio não chegou no seu máximo ainda”.

Para Emicida, “é parte do plano deles [governo]” levar uma onda de contágio pior do que a que estamos vivendo para as comunidades”. “O que é que eu estou dizendo? Que é fácil? Engole seco? Chora em casa? Não”, pondera o cantor, a respeito do sentimento inflamado nas redes a favor dos protestos. “Mas manifestação não é micareta”, justifica.

O famoso acredita que antes de qualquer protesto, precisa-se “de uma construção, de uma base, um projeto”.

“Não dá para pegar uma hashtag e achar que ela é um escudo. Na vida real, isso não funciona”, discute.

O cantor ainda pontua o risco iminente de pessoas infiltradas provocarem tumultos nos protestos, com a intenção de fazer com que as ações sejam reprimidas pela polícia, com aval do governo. “Estrategicamente falando, a instabilidade está sendo ajustada para justificar uma atitude arbitrária. Se a gente entrar na dança dos caras, a gente sabe quem vai sofrer”, afirma.

Ele ainda desabafa que os brasileiros precisam agir muito mais com estratégia do que movidos pela emoção.

“Não é o momento de ser passional. É o momento de ser racional. A insatisfação é legítima, mas olha o contexto atual e o histórico do país que a gente vive”.

VEJA TAMBÉM: Manchas do pênis de Michael Jackson teriam sido descritas por suposta vítima de pedofilia

No ponto de vista de Emicida, os protestos de domingo podem não só aumentar a onda de contágio do novo coronavírus no país, mas também acabar servindo de estratégias para justificar atos mais autoritários do governo.

“Coronavírus não brincadeira e a situação do país também não é uma brincadeira, mas tudo que esses vermes querem é uma faísca para rasgar de vez o tecido social dessa porra e ficar uma ruptura agressiva e violenta que vocês sabem em cima de quem vai primeiro”.

Confira o vídeo: