emicida
O rapper paulistano Emicida (FOTO: Divulgação)

Numa entrevista ao “Programa do Porchat”, na quarta-feira (dia 10), o rapper Emicida revelou que na infância quando morava em uma área vulnerável, sua mãe ensinou os filhos a se defenderem. “Como ela voltava no meio da madrugada, vagabundo sabia que não tinha adulto na casa e forçava a porta para invadir o barraco. Ela ensinou a gente a esquentar óleo na panela, deixar ferver e, se alguém invadisse, a gente jogava na cara da pessoa. O bagulho mais louco é que eu tinha 6 anos e estava pronto para matar alguém”, afirmou o músico que mais recentemente lançou o single “Inácio da Catingueira”.

Ao se lembrar da infância, Emicida revelou que trabalha desde os 7 anos de idade e por isso não concorda com o discurso adotado por parte da sociedade sobre meritocracia. “Tenho aversão à meritocracia resolver as coisas. A gente vem de um contexto bastante diferente. Existem pessoas que são pobres, existem pessoas que são pobres e não têm a família. Cada uma dessas diferenças precisa de compensações para que a gente fale sobre mérito. Eu estava em um contexto que poderia ter um final trágico”, explicou o músico.

VEJA TAMBÉM: Entenda todas as referências políticas de “Boca de Lobo”, o clipe incrível de Criolo

Por conta da fama, Emicida contou que que precisou se acostumar com todo o assédio dos fãs no começo da carreira. “Os primeiros fãs pagaram os pecados deles comigo. Imagina pessoas seguindo você, eu achava que era um acerto de contas”.

Emicida vira desenho animado em “Termos e Condições”, clipe de Erasmo Carlos

O cantor Erasmo Carlos lançou no sábado (dia 04 de agosto), o clipe para o single “Termos e Condições”, sua parceria com o rapper Emicida. A canção faz parte do álbum recém-lançado de Erasmo chamado “Amor É Isso”. No vídeo os dois artistas são transformados em desenhos animados.

Através de um comunicado o rapper Emicida comentou a parceria: “Eu fico feliz e grato pela benção que é poder ser parceiro de um dos maiores compositores da história da nossa música, que me emocionou com tantas histórias e agora me permite a honra de contar histórias ao seu lado. Eu sou o cara mais feliz do mundo”.

Erasmo Carlos também falou sobre sua admiração pelo rapper. “Sua simpatia é instantânea e contagiante. Seu discurso sobre os problemas contemporâneos e possibilidades sociais se tornam mais críveis para nosso convencimento quando desfrutamos sua elogiável humildade e sincera simplicidade”, afirmou o “Tremendão”.

Confira o clipe: