emicida
O rapper paulistano Emicida (FOTO: Divulgação)

O rapper paulistano Emicida divulgou nesta terça-feira (dia 16) em seu canal oficial no YouTube, o clipe do single “Rap do Motoboy”, sua nova parceria com o irmão, Fióti.

O videoclipe mostra depoimentos reais de motoboys comentando sobre as suas conquistas, os desafios enfrentados no cotidiano e a discriminação na sociedade. O vídeo de “Rap do Motoboy foi gravado em São Paulo com direção de Fred Ouro Preto.

Assista abaixo:

Emicida revela que quando era criança já estava pronto para matar alguém

Numa entrevista ao “Programa do Porchat”, na quarta-feira (dia 10), o rapper Emicida revelou que na infância quando morava em uma área vulnerável, sua mãe ensinou os filhos a se defenderem. “Como ela voltava no meio da madrugada, vagabundo sabia que não tinha adulto na casa e forçava a porta para invadir o barraco. Ela ensinou a gente a esquentar óleo na panela, deixar ferver e, se alguém invadisse, a gente jogava na cara da pessoa. O bagulho mais louco é que eu tinha 6 anos e estava pronto para matar alguém”, afirmou o músico que mais recentemente lançou o single “Inácio da Catingueira”.

Ao se lembrar da infância, Emicida revelou que trabalha desde os 7 anos de idade e por isso não concorda com o discurso adotado por parte da sociedade sobre meritocracia. “Tenho aversão à meritocracia resolver as coisas. A gente vem de um contexto bastante diferente. Existem pessoas que são pobres, existem pessoas que são pobres e não têm a família. Cada uma dessas diferenças precisa de compensações para que a gente fale sobre mérito. Eu estava em um contexto que poderia ter um final trágico”, explicou o músico.

VEJA TAMBÉM: Entenda todas as referências políticas de “Boca de Lobo”, o clipe incrível de Criolo

Por conta da fama, Emicida contou que que precisou se acostumar com todo o assédio dos fãs no começo da carreira. “Os primeiros fãs pagaram os pecados deles comigo. Imagina pessoas seguindo você, eu achava que era um acerto de contas”.