Empresário relembra como foi trabalhar com Lady Gaga em “Born This Way”

Bobby Campbell falou sobre a experiência incrível

Publicado em 5/21/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com a comemoração dos 10 anos do famoso álbum de Lady Gaga, “Born This Way”, diversas lembranças vem sendo mencionadas. E desta vez, Bobby Campbell, falou sobre os bastidores.

Ele deu detalhes à Billboard sobre os bastidores, e ainda revelou o envolvimento da arista nas produções e sua genuína atenção ao público LGBT.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

(FOTO: Reprodução POPline)

O disco foi uma das maiores produções da carreira de Lady Gaga, e foi responsável por performances históricas e muito bem produzidas em veículos com o Grammy, VMA, ‘Saturday Night Live”, “Good Morning America”, “American Idol”, “The Ellen DeGeneres Show”, “Oprah”, além do Oscar.

Bobby relembrou os melhores momentos da época em comemoração ao disco da artista. “Acho que ouvi ‘Born This Way’ primeiro e fiquei exultante e animado com o que significava e o que tinha a dizer. Eu me sentia tão animado como um homem gay por fazer parte de algo que eu sabia que mudaria a cultura e o mundo“, Bobby disse.

“Born This Way“, colocou a artista no centro, e talvez no topo da indústria musical, e foi a primeira música dela ao estrear em primeiro lugar na Billboard Hot 100. Além de ter estreado em primeiro lugar na Billboard 200. Os seguintes singles, “The Edge of Glory” e “Judas” também alcançaram as 10 primeiras colocações do Hot 100.

A música tem uma verdadeira mensagem de inclusão, e traz conforto para a comunidade queer de acordo com o empresário. Além disso, a cantora fez tanto ‘barulho’ na época, que de fato contribuiu para uma transformação social. “Na época, o casamento gay era muito debatido. Quando estávamos fazendo o Monster Ball (turnê), nunca esquecerei quando ela esteve em Buffalo (Nova York), em março de 2011, e deu o e-mail do senador do estado de Nova York e pediu a todos que enviassem um e-mail sobre a aprovação da lei“, disse.

“Acho que as pessoas sabiam que o que Gaga representa é inegociável. Existem pessoas que usam o marketing para a comunidade LGBT como uma caixa de seleção e ela nunca foi assim”, ele afirmou.

Ao relembrar os momentos mais icônicos, Bobby fez questão de ressalvar o profissionalismo da artista durante a época. E ele menciona o famoso clipe de “Marry The Night”.

“Ela dedicou muito tempo e cuidado de cada apresentação, sendo completamente única. Todos eram grandes momentos, transformando o que era uma aparição em um talk show num evento”, disse.

VEJA MAIS: Site expõe dossiê sobre supostas traições de Nego do Borel; confira!

“Tenho um grande carinho pela criação dos videoclipes dessa campanha. Você poderia dizer pela energia no set que cada um se tornaria momentos icônicos em sua carreira. Quando ela dirigiu ‘Marry The Night’ a noite toda, estávamos filmando uma cena em que ela está no telhado e começa a chover, e todos estão tentando impedi-la. Ela disse: ‘Temos produção gratuita agora, chuva gratuita. Cubra as câmeras, vamos filmar’. Você olha para trás e não consigo imaginar sem a chuva”, ele relembra.

E esse mesmo videoclipe vem dando o que falar na web! Isso porque após Lady Gaga revelar o trauma que viveu por conta da violência sexual, alguns fãs da artista começaram a observar os relatos contidos no curta-metragem “Marry The Night”, que foi lançado em 2011.

Nele, a artista aparece em uma clínica psiquiátrica, sendo medicada e sentindo dores e principalmente o monólogo da artista chamou atenção. “E, sinceramente, a mentira é muito mais honesta, porque eu a inventei. A psicologia clínica conta que, indiscutivelmente, esse trauma é o que mais mata”, disse.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio