ILUV
Grupo de Kpop ILUV (FOTO: Reprodução)

No último dia 15, a cantora Shin Minah, ex-integrante do grupo de K-pop ILUV, tentou suicídio, pouco tempo depois de acusar as antigas colegas de bullying e dizer o quanto aquilo causou coisas negativas em sua vida. A reação imediata da agência WKS ENE, que cuidava de sua carreira, contudo, foi processá-la por difamação, de acordo com uma fonte da empresa ao jornal “Korea Herald” nesta quinta-feira (30).

“Junto com os membros da ILUV, Gahyun, Jiho, Seoyoon, Jiwon e Cui Xiang, a WKS ENE entrou com uma queixa criminal contra Minah por suspeita de disseminar informações falsas e difamação”, afirmou.

A gravadora tomou outra medida que foi adiar o debute do grupo k-pop BOTOPASS, que inclui três ex-integrantes do ILUV envolvidas na confusão.

Na recente declaração em que expôs seu período no grupo, Minah revelou ter sofrido depressão e transtorno do pânico ao longo dos seis meses.

“Muitas pessoas entraram em contato comigo, mas peço desculpas por ainda não terem respondido a todas. Muito obrigada pelas mensagens de conforto e preocupação. Não vou esquecê-los pelo resto da minha vida. Além disso, recentemente não tenho me sintido bem, então fui hospitalizada e estou recebendo tratamento. Eu voltarei mais saudável. Muito obrigada pelo apoio de vocês. Vou me certificar de revelar a verdade. Para todos que leem este post, espero que vocês estejam saudáveis e felizes”, postou Minah no Instagram no último sábado (25).

LEIA TAMBÉM: Evandro Mesquita diz que descobriu sintomas de Covid-19 no BBB20: “Apavorado”

A mãe da artista contou, pelo perfil da filha no Instagram, que a jovem “entrou em colapso” na sexta-feira (24) passada. Ela pediu que os usuários evitassem deixar comentários contendo ofensas contra Minah, para não prejudicar ainda mais.

A briga entre a idol e a agência começou quando Minah recebeu uma solicitação para não falar sobre sua saúde mental.

“Recebi uma ligação da empresa pedindo que eu mantivesse isso em segredo. Não sei por que tenho que manter isso em segredo. Vocês não deveriam se desculpar?”, postou Minah no dia 14, acrescentando ter levado um tapa no rosto de suas colegas de grupo e sofrido assédio sexual.

Um dia depois, 15, ela tentou suicídio, mas foi resgatada por um policial, conforme relatou nas redes sociais. O oficial foi identificado como um primo do idol Taemin, do grupo K-pop SHINee.

A empresa desmente todas as acusações.

“As outras seis integrantes do ILUV estão profundamente chocadas e magoadas com as afirmações unilaterais e infundadas de uma pessoa que diz ter problemas de saúde mental”, afirmou em nota, virando algumas das alegações contra Minah, dizendo que ela era quem assediava as cantoras.

Minah, por sua vez, também negou ter agido como a gravadora disse.