O cantor canadense Leonard Cohen (FOTO: Reprodução)

A convenção republicana que terminou com a indicação oficial de Donald Trump como candidato presidencial enfureceu os herdeiros do cantor Lenoard Cohen. Enquanto o presidente dos EUA fazia seu discurso de aceitação da indicação presidencial republicana, foram tocadas covers da música “Hallelujah“, do músico, poeta e romancista canadense.

De acordo com o site TMZ, representantes de Cohen e da gravadora do artista afirmaram que haviam rejeitado os pedidos do partido para tocar ou apresentar a música no evento, mas a decisão foi ignorada pelos organizadores.

Donald Trump
Presidente Donald Trump (FOTO: Reprodução)

A música tocada duas vezes causou indignação entre os fãs do músico, que faleceu em novembro de 2016, ironicamente, um dia antes das últimas eleições presidenciais nos Estados Unidos.

LEIA TAMBÉM: Spike Lee lança nova versão de clipe de Michael Jackson com cenas de atos antirracistas

Dois singles de Cohen’s Various Positions teriam vidas próprias expansivas – Dance Me To the End of Love, uma canção inspirada no Holocausto, e, Hallelujah, que tinha um tom litúrgico. Em entrevista à Rádio CBC em agosto de 1995, Cohen, falecido aos 82 anos, falou de como a linguagem carrega sua própria história secreta, que muda com o contexto e com o tempo. “… É curioso como as músicas começam porque a origem da música, cada música, tem um tipo de grão ou semente que alguém entrega a você ou o mundo entrega a você e é por isso que o processo de escrever uma música é tão misterioso.”