alok
O músico goiano Alok (FOTO: Reprodução)

A live de Alok na Rede Globo, que ocorreu no último sábado (dia 2), acabou tirando o sossego do síndico do prédio por causa de uma ameaça de polícia. O responsável pela administração do prédio de luxo, que fica no bairro do Brooklin, em São Paulo, é ninguém menos que o advogado Marcio Rachkorsky, especialista em administração de condomínios do SPTV, da Rede Globo. “Enquanto todo mundo estava se divertindo e curtindo, eu estava apavorado e torcendo para acabar logo”, revelou Rachkorsky segundo apurado pelo site Notícias da TV.

Nas horas que antecederam o evento, recebi a ligação de um morador que estava enfurecido. Falando: ‘Márcio, é um absurdo, você não fez assembleia para aprovar, você não nos consultou formalmente, você não tem autonomia para fazer isso, você está descumprindo a lei, vou chamar a polícia, eu vou conseguir uma liminar, eu vou fazer de tudo para evitar isso’“, contou o advogado. O síndico inclusive precisou negociar com tal morador, explicando que a live da TV Globo poderia até valorizar o local. “Não adiantava. O cara falava: ‘Não, eu tenho filho pequeno’. Outro morador aderiu a tese do cara e falava: ‘Eu também tenho filho pequeno'”, revelou Rachkorsky.

“Foi assim uma tensão pré-evento. E eu pensando: ‘Já pensou se por conta de um ou dois moradores dá tudo errado? Já pensou a expectativa que está gerando em todo mundo?’. Mas eu fui firme, conversei com o condômino incomodado. Depois, cheguei a conversar com outra senhora que estava com dúvidas”, revelou. De acordo com Márcio, o DJ se mostrou disposto a negociar detalhes da live e até a mudar as músicas do show para algo mais intimista.

VEJA TAMBÉM: Bizarro! Alok surge com bebê extraterrestre e assusta Dua Lipa

“Faltando uma hora ou duas horas para começar o evento, eu [estava] morrendo de medo que chegasse a polícia ou oficial de Justiça com um mandado para não realizar o evento”, revelou o administrador. Para Márcio, o evento acabou acontecendo da melhor forma possível nos bastidores. O prédio até chegou a providenciar um gerador de energia extra além de reforçar a equipe de segurança para evitar aglomerações no condomínio.

F5 - Música - Live de Alok leva fãs do DJ para frente do prédio ...

Depois disso, já era uma 2h da madrugada, eu relaxei. Aí, eu que fui tomar uma garrafa de vinho porque eu estava tão tenso. Tenso de verdade, com medo de dar errado ou medo de ser responsabilizado por alguma coisa. No fim das contas, deu tudo certo“, celebrou. O consultor do SPTV também elogiou a postura de Alok durante as conversas com os vizinhos. “Ter um condômino ilustre como ele é algo muito legal. Ele é um cara gentil, cordial, educado, humilde e todo mundo que tem contato com ele não acredita.”

O especialista revela que inicialmente teve que consultar os moradores via grupo de WhatsApp para a autorização da live. De acordo com Márcio, a maioria ficou entusiasmada com a ideia da transmissão ao vivo. Porém, uma delicada questão acabou chamando a atenção do profissional. “Como ia ser depois das 22h da noite, eu como síndico fiquei com a dúvida do barulho, a questão do sossego das pessoas que eu tanto falo na TV. Mas aí a gente pesou as coisas e essa é a importância do síndico: saber interpretar as situações e pesar”, analisou. Para Márcio, a live ser beneficente pesou na decisão de autorizar o evento no condomínio. “Achei que estava dentro da minha alçada liberar e autorizar o evento mesmo que o som pudesse incomodar alguém”, revelou.

O resultado positivo da live acabou deixando o administrador mais tranquilo com sua decisão. “Eu poderia ter tomado uma decisão que fosse contrária ao interesse coletivo, mas que ia beneficiar uma pessoa que estava fazendo pirraça. Aí valeu aquela história do síndico que cumpre a lei, claro, mas que deve ser coerente. Estou honrado de ser o síndico desse prédio onde pude viver uma experiência totalmente diferente, um mix de angústia, alegria, satisfação, medo e, agora, alívio”, concluiu. Confira declaração de Marcio Rachkorsky no Instagram: