pv
A cantora maranhense Pabllo Vittar (FOTO: Reprodução)

A polêmica reclassificação etária ao clipe de “Parabéns”, da Pabllo Vittar, no YouTube segue sendo assunto entre os fãs da cantora. Agora, os seguidores da drag queen decidiram criar um abaixo-assinado na plataforma AVAAZ exigindo que o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (CONAR) retire a classificação indicativa de 18 anos do vídeo.

Até o momento, para assistir ao vídeo da cantora, os usuários são obrigados a fazer login na plataforma e confirmarem sua idade para assistirem ao vídeo. Tal ação obviamente dificulta o acesso ao clipe e compromete sua audiência em visualizações e likes.

Até o momento petição está com 5,7 mil assinaturas (para participar, clique aqui). O texto aponta que a restrição é um “ato visivelmente homofóbico”, pois não seria aplicada a todos. Citando a suposta censura ao vídeo da drag queen, o G1 aponta que cantores de grande repercussão nacional como Gusttavo Lima, Vitão e Ferrugem possuem atualmente vídeos com bebidas alcoólicas liberados na plataforma de vídeos.

VEJA TAMBÉM: Irmã gêmea? Garota idêntica à Anitta viraliza na web e ganha milhares de seguidores

De acordo com CONAR, a classificação indicativa ao vídeo da cantora teria sido imposta por causa de uma inserção publicitária de vodca no meio do clipe. No Brasil, a propaganda de bebidas alcoólicas para menores de idade é proibida pela lei. Pabllo Vittar, porém, já declarou que considera essa uma “censura seletiva”.

No texto do abaixo-assinado criado pelos fãs da drag, os autores endossam o discurso de censura seletiva de Pabllo: “existem diversos vídeos de outros artistas, majoritariamente heterossexuais, que contêm publicidade de marcas de bebidas alcoólicas (destilados) e que não foram notificados pelo CONAR”.