chorao
O músico paulista Chorão (FOTO: Reprodução)

O filho do cantor Chorão, Alexandre Ferreira Abrão, não terá que pagar multa nem indenização por shows que o pai não fez por ter falecido, assim como decretou, a Justiça de São Paulo. Para o juiz Fábio Sznifer, da 2ª Vara Cível da Comarca de Santos a morte de Chorão, ainda que por suicídio, não pode ser considerada com uma inadimplência ou um ato ilícito.

Chorão, vocalista da banda Charlie Brown Jr, morreu em março de 2013. Nove meses após a morte, uma notificação extrajudicial chegou às mãos do fotógrafo Alexandre Ferreira Lima Abrão, seu único filho.

No documento de duas páginas, a empresa Promocom Eventos e Publicidade cobrava-lhe uma indenização por nove shows que o músico não pôde fazer.

“Faleceu sem atender à totalidade das obrigações assumidas”, afirmava o texto, ressaltando que “notoriamente, tais obrigações não poderão [mais] ser atendidas” e ainda exigindo o pagamento de R$ 325 mil  referentes a R$ 225 mil que teriam sido pagos a Chorão em adiantamento aos shows, além de R$ 100 mil em multa por descumprimento do contrato.

“Com a morte de Chorão, o capital investido deixou de fazer o lucro esperado”, disse o advogado da empresa, Rodrigo Ramina de Lucca.

VEJA TAMBÉM: Anitta dança de biquíni com Gui Araújo e recebe tapinha no bumbum

A Justiça entendeu que a morte de Chorão, ainda que por suicídio, não pode ser considerado como escolha de não honrar seus compromissos, passando se tornar inviável a cobrança de multa contratual. Ainda segundo a Justiça, com base em uma perícia, ficou comprovada a falsificação na assinatura de Chorão e, portanto, o contrato foi anulado.

Fábio Sznifer também declarou que a empresa não conseguiu provar que houve adiantamento nos valores mencionados e negou todos os pedidos da empresa.

View this post on Instagram

*Aviso de textão* Acho que não tem um dia em que eu não passe pelo menos 60% do tempo pensando em você. 
Seja diretamente pensando em você como o “Chorão”, seja você como Rockstar ídolo nacional de milhões de pessoas nesse mundo. Seja como o “Vovôzão” que a sua neta fala todo dia e pede pra ouvir a sua musica durante o banho, seja como o herói que eu tenho que defender com unhas e dentes. Mas hoje eu não estou aqui pra falar do Chorão, ou do Rockstar, ou do músico. Hoje to aqui pra falar de você como você é e sempre sera pra mim. Pai. 50 anos, cara, se ta velho hein ? 50tão… Não tem um dia que eu não pense em você, o molecão que ficava dando empurrão, cotovelada e mata leão. Você, o homem que apesar de ter que se mostrar forte pra todos, tinha seu lado frágil que sem querer deixava escapar entre uma conversa ou outra. Você, o homem que mesmo querendo tentar ser bravo, não conseguia parar de rir das merda que eu fazia quando criança. Você, que quando eu perguntava o por que eu nano te via tanto, respondia que estava trabalhando por minha causa. Você, que me ensinou que temos que ser gentis com todos, não importa quem seja. Você, que quando eu quis seguir um rumo totalmente fora do seu, me apoiou. Você que com 20 anos virou meu pai. Você que com o filho de 18 anos do lado, gritava num microfone na frente de mais de 10 mil pessoas que queria ter um neto e queria logo. Caralho, eu dava qualquer coisa pra ver você brincando com a Amélie sabia? Imagino como você ia ser coruja com ela, mimar pra caralho a ponto de eu ter que brigar com você, roubar ela durante os finais de semana. Hoje estou eu e ela aqui, cantando parabéns pra você. Agradecendo por todas as lições, por todos os abraços, por absolutamente tudo. Hoje é o seu aniversário. Não to falando do Chorão, do Rockstar, do Musico, do Skatista, to falando do que realmente me importa, estou falando do meu pai. Você faz falta. Eu te amo. Nunca vou te esquecer e nunca vou parar de lutar por você. 
Seu fella.

A post shared by Alexandre Ferreira Lima Abrão (@alexandreflabrao) on