John Lennon e Yoko Ono
(FOTO: Reprodução)

Uma das histórias de amor mais marcantes da história da música mundial vai virar filme. O polêmico e inspirador romance entre John Lennon e a japonesa Yoko Ono, será adaptado para as telonas.

De acordo com informações do site “Deadline”, o estúdio Universal Pictures encomendou a produção do longa-metragem sobre o romance do ex-integrante dos Beatles, mas o projeto ainda não tem data para o início das gravações.

O responsável por comandar a cinebiografia será o prestigiado Jean-Marc Vallée, profissional canadense responsável por séries de sucesso como “Big Little Lies” e “Sharp Objects”, além do filme “Clube de Compras Dallas”, indicado ao Oscar em 2013.

VEJA TAMBÉM: Caetano Veloso entrevista Roger Waters sobre onda fascista no mundo

Enquanto a trilha sonora promete contar com as composições escritas pelo próprio John Lennon, o roteiro ficará por conta de Anthony McCarten, roteirista por trás do filme “Bohemian Rhapsody”, cinebiografia sobre a banda “Queen”. Entre os produtores do filme estão Michael de Luca, Josh Bratman e a própria Yoko Ono.

Ainda não foram revelados os atores escolhidos para interpretar os papéis do casal John Lennon e Yoko Ono.

Paul McCartney revela que se masturbava ao lado de John Lennon

O cantor Paul McCartney revelou momentos bem íntimos protagonizados junto com os outros integrantes dos Beatles. Em entrevista à revista GQ, o roqueiro contou já ter se masturbado algumas vezes ao lado de John Lennon e os demais companheiros de banda.

“Foi assim, eu estava na casa do John e era um grupo pequeno. E ao invés de ficarmos bêbados e dar uma festa, eu nem sei se íamos passar a noite lá ou algo assim, nós estávamos sentados nessas cadeiras e as luzes estavam apagadas e alguém começou a se masturbar, então todos fizemos o mesmo”, revelou o músico.

McCartney ainda lembrou que junto com os outros começaram a brincar gritando nomes de musas como “Brigitte Bardot” como “estímulo” e que a brincadeira acabou após Lennon gritar o nome “Winston Churchill.”

O famoso assegura, porém, que o momento não era algo comum entre eles. “Eu acho que foi uma vez só. Talvez duas”, disse. “Não era algo grande. Mas é o tipo de coisa em que você não pensa muito. Era só uma coisa de grupo. É, é um pouco pervertido quando você pensa nisso”.

“Tem tantas coisas que você faz quando é jovem e depois pensa ‘nossa, eu fiz mesmo isso?’. Mas era uma diversão inocente, ninguém se machucou. Nem a Brigitte Bardot”,completou.