madonna
A cantora norte-americana Madonna (FOTO: Reprodução)

O filme biográfico que Madonna está dirigindo, explorará alguns dos aspectos mais sombrios de sua vida antes de sua ascensão à fama.

O jornal britânico The Mirror disse: “Ela perdeu a mãe para o câncer quando tinha apenas cinco anos, algo que uma criança nunca supera. Mas ela transformou sua perda e dor em uma força criativa a ser reconhecida”.

“Ela está descobrindo memórias que há muito tempo estavam adormecidas. Ela fez e conquistou tanto, então ter esse tempo para refletir foi muito mágico”, contou.

VEJA TAMBÉM: Katy Perry mostra evolução em videoclipe animado de “Resilient”; confira

Apesar da escolha da própria artista para dirigir sua biografia tenha sido bastante criticada, ela parece estar empenhada em fazer um bom trabalho.

“Eu sempre me esqueço de que estou escrevendo sobre mim… Não consigo inventar nada! Mas, na verdade, não preciso. A verdade o libertará e também será devastadora”, disse Madonna ao falar sobre o projeto.

Ela escreve o filme juntamente a Diablo Cody, responsável pelos sucessos Juno e Garota Infernal.

Em uma entrevista para a revista Harper’s Bazar, a voz de ‘God Control’ havia comentado sobre a noite de seu estupro: “Nova York não era tudo que eu pensei que seria. Não me recebeu de braços abertos. No primeiro ano, fui refém sob a mira de uma arma, estuprada no telhado de um prédio onde fui arrastada com uma faca nas costas, e meu apartamento foi arrombado três vezes”.

“Disseram-me que se eu quisesse apresentar queixa, você sabe, um exame físico, eu teria que ir ao tribunal, eles iriam me fazer todas essas perguntas pessoais. Você já foi violado, então, quer falar sobre isso? Você quer tornar isso público? Não, simplesmente não vale a pena. É muito humilhante”, revelou.

Durante uma live, a cantora explicou: “Quero transmitir a incrível jornada que a vida me levou como artista, música, dançarina – um ser humano, tentando abrir seu caminho neste mundo”.

“O foco deste filme sempre será a música. A música me manteve ativa e a arte me manteve viva. Existem tantas histórias inspiradoras e não contadas e quem melhor para contá-las do que eu. É essencial compartilhar a montanha-russa da minha vida com minha voz e visão”.