freddie mercury
O astro de origem zanzibense Freddie Mercury (FOTO: Reprodução)

Algumas pessoas consideram Freddie Mercury um dos maiores cantores de todos os tempos. O cantor eternizou diversos singles, com sua voz inigualável. Infelizmente o cantor foi diagnosticado com AIDS em 1987,e passou a sofrer diariamente com as complicações da doença.

Entretanto, em 24 de novembro de 1991, este sofrimento acabou, quando o cantor faleceu vítima de broncopneumonia, acarretada pela AIDS. Confira agora os 5 momentos mais tristes dos últimos dias de Freddie Mercury, segundo publicado na Aventuras na História.

1. A última aparição em público

Em 18 de fevereiro de 1990, Freddie recebeu, no Brit Awards, o prêmio de Contribuição Espetacular à Música Britânica. Na ocasião, as únicas palavras ditas pelo vocalista do Queen durante a cerimônia foram: “Obrigado… boa noite”.

Getty Images

Após esse evento, o artista se resguardou em sua casa e viveu seus últimos momentos, onde já não conseguia mais nem sair da cama.

VEJA TAMBÉM: Vídeos sensuais de Anitta são publicados em site pornô

2. Freddie jamais foi abandonado por seus amigos

Apesar de ficar fora dos holofotes, o artista jamais foi esquecido. Isso é o que garante seu assistente pessoal e amigo Peter Freestone, que relatou que as pessoas próximas ao cantor passaram a fazer um revezamento na casa de Mercury, em suas últimas semanas de vida, para que ele nunca se sentisse sozinho.

Na última semana, ele já não saía mais da cama e nunca estava sozinho. Nós fazíamos turnos de 12 horas [para acompanhá-lo]. Eu estava sentado na cama segurando as mãos dele para que, quando ele acordasse, tivesse alguém lá. Nós conversamos sobre amenidades como amizades e fofocas“, relembrou Peter em entrevista.

3. Perda da visão

Em seu livro Mercury and Me, Jim Hutton, namorado do cantor, relatou que Freddie Mercury sofria diariamente com fortes dores no corpo. Já Mary Austin, sua melhor amiga e o amor de sua vida, como o próprio a considerava, disse em entrevistas que o músico também estava perdendo sua visão

Crédito: Wikimedia Commons

“A qualidade de vida dele havia mudado drasticamente e ele sentia mais dor a cada dia. Ele estava perdendo a visão. O corpo dele enfraquecia a cada nova convulsão”, relembrou Austin lamentado a perda do amigo.

Presente ao lado de Mercury nos meses que antecederam a morte do músico em novembro de 1991, Austin diz na mesma entrevista como “esse foi o período mais solitário e difícil” da vida dela.

Eu perdi alguém que eu achava que seria o meu amor eterno. Quando ele morreu e sentia que nós havíamos nos casado e trocado votos. E a verdade é que foi o que fizemos, vivemos juntos na riqueza e na pobreza, na saúde e na doença. Era impossível deixar o Freddie, só com ele morrendo – e mesmo assim foi muito difícil”, afirmou.

4. A desistência do tratamento e divulgação de seu estado de saúde

Cansado de sua situação cada vez mais debilitada, Freddie decidiu que não tomaria mais remédios e que esperaria por sua morte. Assim, em 10 de novembro de 1991, informou que abandonaria todos seus tratamentos.

Jim Hutton relata em sua obra que o último dia em que o astro da música esteve consciente foi em 22 de novembro, quando pediu para que seu empresário divulgasse seu real estado de saúde para o público. Assim, no dia seguinte, seu pedido foi atendido e o mundo todo soube o diagnostico real de Mercury, que morreu menos de 24 horas depois.

5. Seus últimos pedidos

Em 24 de novembro, o vocalista do Queen teria acordado durante a madrugada e pedido para que Jim lhe buscasse algumas frutas. Depois de comer, ele voltou a dormir. Por volta das três horas da manhã, Freddie acordou seu amado novamente, desta vez de forma brusca e apontando para sua boca, sem conseguir falar. Prontamente um enfermeiro chegou e percebeu que o cantor estava engasgado, conseguindo salvá-lo o mais rápido possível.

Seus últimos momentos em vida aconteceram pouco depois, por volta das 6 horas da manhã, quando ele levantou pedindo ajuda para urinar, no que seriam suas últimas palavras. Hutton o ajudou e em sequência eles voltaram para cama.

Posteriormente, Freddie passou a ter fortes convulsões e novos médicos foram chamados. A equipe lhe aplicou morfina, para tentar amenizar as dores que ele sentia, porém, o cantor mal conseguia responder aos estímulos que lhe foi dado.

Getty Images

Ao tentar trocar sua roupa novamente, depois de perceber que Freddie Mercury não havia conseguido pedir para ir ao banheiro pela segunda vez, Jim notou que as pernas do cantor já estavam sem força e imediatamente lhe cobriu de beijos e abraços, naquela que foi sua despedida.

O funeral de Freddie aconteceu três dias depois, quando o corpo do cantor foi cremado no Cemitério de Kensal Green. As cinzas do artista ficaram com Mary Austin e, até hoje, apenas ela, Jim Hutton, os membros do Queen e os familiares do cantor sabem onde os restos do artista foram depositados.