Freddie Mercury
O cantor zanzibense Farrokh Bulsara mais conhecido como Freddie Mercury (FOTO: Reprodução)

O amante irlandês de Freddie Mercury é retratado no premiado filme Bohemian Rhapsody, sucesso recente de bilheteria mundial. Embora o filme tenha sido um enorme sucesso, recebeu algumas críticas por usar um pouco de licença artística ao recontar algumas das principais histórias da vida de Mercury.

Uma imprecisão foi que o filme retratava Jim Hutton apenas como um funcionário do astro antes de os dois se juntarem. De fato, Co Carlow Hutton era na verdade um cabeleireiro que conheceu a estrela num clube noturno gay chamado Heaven.

VEJA TAMBÉM: O dia em que George Michael deu em cima de policial durão e acabou preso

Eles se conheceram em 1985, um ano após o músico ter dado um gigantesco passo na sua carreira com sucessos como Radio Ga Ga, I Want to Break Free, It’s a Hard Life e Hammer to Fall. Mercury aproximou-se de Hutton no bar e perguntou-lhe se gostaria de uma bebida – e questionou ao rapaz se ele tinha um pênis grande, como aponta o jornalista Michael Kehoe site Ireland Calling.

O casal resolveu juntar-se, e a sua relação durou sete anos, até Mercury morrer tragicamente de AIDS com apenas 45 anos, depois de ter sido diagnosticado com HIV quatro anos antes.

Despite not being legally married, both Hutton and Mercury wore wedding rings.
(FOTO: Reprodução)

A sua relação era frequentemente turbulenta, e Hutton disse uma vez: “Eu vi-o com outro homem na Heaven [noutra ocasião] e tivemos uma grande discussão. Ele me perguntou o que tinha feito para me fazer ciúmes. Então um dia vi-o sair do seu apartamento em Kensington com outro homem e tivemos uma discussão. Eu disse-lhe que ele tinha de se decidir. E ele disse: “Está bem”, ele queria estar comigo. No fundo penso que ele queria estar seguro com alguém que lhe encarasse de maneira real e não se impressionasse com quem ele era”.

Hutton estava trabalhando no hotel Savoy quando eles se conheceram e logo depois ele se mudou para a mansão Georgiana de Mercury e trabalhou como faz-tudo e jardineiro por £600 por semana.

Freddie Mercury and Jim Hutton
(FOTO: Reprodução)

O namorado do astro inclusive esteve nos bastidores vendo como Mercury quando este fez a performance de sua vida no antológico Live Aid. Naquele evento ficou claro o efeito que a presença no palco de Mercury tinha na multidão.

Em 1986, começaram a circular na imprensa britânica rumores de que Mercury tinha contraído o HIV. Freddie Mercury negaria os rumores quando questionado sobre o assunto em entrevistas. No entanto, pouco depois da Páscoa do ano seguinte, ele foi diagnosticado com AIDS.

Hutton afirmou: “A sua atitude foi ‘a vida continua’ Ele tomou AZT e quase todos os outros medicamentos disponíveis. Os médicos foram lá a casa para o tratar”.

Mercury se jogou ainda mais no trabalho e continuou a escrever canções icônicas que resistiram ao teste do tempo. Disse Hutton: “Os médicos acharam que ele não devia fazer o vídeo de Barcelona. Mas a sua atitude foi: “Não vou deixar que esta coisa me vença”. Reparei no esqueleto em que ele se tinha tornado apenas na manhã do seu último aniversário. Talvez eu estivesse em negação.

Mas acho que Freddie sabia quando era o momento de parar. Ele decidiu deixar a sua medicação três semanas antes de morrer.

Freddie Mercury e Jim Hutton: história de amor além da Aids - Só ...
(FOTO: Reprodução)

“A última conversa apropriada que tivemos teve lugar uns dias antes de ele morrer. Eram 6 da manhã. Ele queria olhar para os seus quadros. Como vou descer as escadas?” perguntou ele. ‘Eu levo-te ao colo’, disse eu. Mas ele fez o seu próprio caminho, agarrando-se ao corrimão. Eu fiquei na frente para garantir que ele não caísse. Levei uma cadeira para a porta, sentei-o dentro dela, e pisquei as luzes, que iluminavam cada quadro. Ele disse: “Oh, eles são maravilhosos”. Levei-o lá para cima para a cama. Ele disse: “Nunca percebi que você era tão forte quanto você”.

Ele foi dosado com morfina na Terra do Nunca” e adormeceu. Eu sabia que se ele acordasse ele ia se deparar com uma cena de morte triste, então mudamos-lhe a roupa íntima e enquanto eu punha a cueca dele, eu sabia que ele tinha ido embora. Entrei no meu quarto e parei um relógio de carruagem que o Freddie me tinha dado: o tempo era de 12 minutos a 7″.

Hutton também tinha testado positivo para o HIV em 1990, mas só no ano seguinte é que ele disse a Mercury que também tinha contraído o vírus. As fotos abaixo, foram batidas por Hutton em um dos últimos passeios de Freddie Mercury pelo jardim de sua mansão georgiana.