Freddie Mercury
O cantor zanzibense Farrokh Bulsara mais conhecido como Freddie Mercury (FOTO: Reprodução)

Freddie Mercury é um dos maiores ícones do rock que já existiram. Ele foi músico, cantor, compositor e teve todos os tipos de reconhecimentos na vida e póstumo. Um artigo de Emmanuel Gutiérrez para La Noticia explica vida e obra do vocalista do Queen.

Freddie Mercury, que se chamava na verdade Farrokh Bulsara, nasceu em 5 de setembro de 1946 na ilha de Zanzibar (Tanzânia), localizada na costa leste da África.

Farrokh era um menino bonito, tímido e muito apegado à mãe e à irmãzinha Kashmira, esta última era a figura em quem confiava até a adolescência. Mais tarde, ele foi enviado para a Índia para ter aulas em uma escola britânica.

VEJA TAMBÉM: Elvis Presley era pedófilo?

Ele gostava de boxe e pingue-pongue, mas seu amor pela música o conquistou, então ele teve aulas de piano, canto e entrou no coro da escola, onde demonstrou o voz poderosa que ele tinha.

Após várias tentativas infrutíferas com várias bandas, por volta de 1970, Brian e Roger pediram a Freddie para cantar para sua banda, além de entrar, Freddie mudou o nome do grupo de Smile para Queen e é aí que começa a história da banda de rock. ópera mais famosa do mundo.

Vale lembrar que Freddie Mercury estudou design gráfico, então ele se esforçou para criar um logo que diferenciasse a banda das demais e o resultado foi o que todos conhecemos agora.

Em 1982, o Queen decidiu fazer uma pausa e cada membro lançou álbuns solo, mas o Freddy foi além e graças ao fato de ter conhecido Giorgio Moroder, gravou “Love Kills”, uma música super dançante que permanece no ambiente disco até hoje.

Em 8 de outubro de 1988, seria a última vez que Freddie aparecia ao vivo em alguma apresentação, já que a essa altura já havia desenvolvido a AIDS, doença da qual ele começou a sofrer dois anos antes.

Um dia antes de sua morte, Freddie revelou ao mundo que sofria de AIDS há vários anos. Ele morreu em sua cama às 19h00 em 24 de novembro de 1991 em consequência de uma pneumonia que não conseguiu superar.

Para seus fãs, Freddie deixou um presente melhor, o álbum “Made In Heaven” que captura os últimos momentos do cantor e sua voz parece melhor do que nunca, apesar da doença avançada que sofreu.