Paulo Miklos
(FOTO: Reprodução)

“A música brasileira sempre esteve ligada aos movimentos de luta pela liberdade”. É com esta frase, que a sambista Beth Carvalho inicia o manifesto A Música Não Se Cala. O protesto reúne nomes como Leoni, Paulo Miklos, Paulinho Moska, Frejat, Veronica Sabino, Tico Santa Cruz, Fernanda Takai, João Donato, Tulipa Ruiz, Liniker, Anelis Assumpção, Zélia Duncan.

No manifesto, os artistas posicionam-se a favor da liberdade de expressão e afirmam ser contra a onda conservadora que se paira no Brasil. O vídeo tem como fundo musical a faixa “Divino Maravilhoso”, um clássico de Gal Costa gravado ainda em 1969. A data é simbólica pois a gravação ocorreu poucos meses depois da instituição do AI-5, golpe militar que resultou na perda de mandatos de parlamentares contrários ao regime que se formava. O duro período foi marcado pela institucionalização da tortura, instrumento que passou a ser usado pelo Estado contra opositores.

VEJA TAMBÉM: Caetano Veloso entrevista Roger Waters sobre onda fascista no mundo

Ao fim do vídeo, os artistas fazem a promessa de que não irão se calar, deixando claro o posicionamento contra Jair Bolsonaro. Mesmo sem citar nominalmente o presidenciável do PSL, o uso de camisas com os dizeres “Ele Não” deixa implícita tal afirmação. Veja o vídeo:

Paulo Miklos revela como perdeu o dedo ao passear com cachorro

O cantor Paulo Miklos, ex-vocalista do Titãs, revelou um acontecimento bizarro que ocorreu recentemente em sua vida. Numa entrevista para a Rádio Jovem Pan, ele contou que sofreu uma mutilação em uma das mãos.

No bate-papo, que ocorreu na sexta-feira, dia 31, Miklos revelou que perdeu parte do dedo polegar em um acidente, tudo por causa de seu cachorro, um São Bernardo. “Eu tinha um São Bernardo, um cão gigantesco. Como ele tinha a perna comprida e andava muito rápido, achei por bem ter uma coleira retrátil de nylon. Você não precisa correr atrás do cachorro, dá linha pra ele.”

“Tinha uma senhora do outro lado da rua com um cachorrinho, que dizia: ‘Olha fulaninho, que bonitinho aquele grandalhão do outro lado’. Eu falava: Não, minha senhora, não faça isso que ele vai querer atravessar e ninguém segura esse cachorro” afirmou Paulo Miklos.

VEJA TAMBÉM: Bono perde a voz e U2 abandona o palco em show na Alemanha

Porém o pedido do músico à mulher acabou sendo em vão. Isto porque, o cão de Miklos já tinha percebido o outro cachorro e partiu para cima do pequeno cão: “Uma vizinha minha veio dirigindo e viu a seguinte cena: eu arrastado pelo braço, tentando tirar o braço que estava preso na tal da guia até que ficou preso só um dedo, o polegar. Aí fez ‘puf!’ e saiu fora o polegar.”

Paulo Miklos garante que nem sentiu o corte do dedo, mas que infelizmente no hospital não conseguiu reimplantá-lo no lugar.

Miklos ainda contou que seu cachorro foi em direção à senhora, fazendo com que um morador do prédio arremessasse um vaso na direção de seu cão, que acabou batendo no chão. “Eu não senti. Foi um corte, essa coisa do nylon estrangulou, foi reto”, completou, contando que acabou pegando carona com a vizinha que estava de carro até um hospital.