gilberto gil
O cantor e compositor baiano Gilberto Gil (FOTO: Reprodução)

Gravado em 1996, o filme “Tempo Rei”, de Andrucha Waddington e Lula Buarque de Holanda, é o primeiro registro da vasta obra de Gilberto Gil em formato de documentário. O longa, que será exibido pelo Curta!, celebrou os 30 anos de carreira do artista e relembra passagens de sua vida antes da fama.

Gil retorna à cidade de Itauçu, décadas depois de partir, em 1951. Embora tenha nascido em Salvador, o músico foi criado no município do interior baiano e, de lá, traz diversas memórias afetivas. Ali é o cenário das lembranças de seus tempos de menino e das primeiras referências que contribuíram para sua formação como artista.

Foto: Divulgação

VEJA MAIS: Nego do Borel erra velório do próprio avô: “História de filme de comédia”

A cidade, com seu ritmo lento e seu pôr-do-sol deslumbrante, confere um ar nostálgico ao filme. Gil confessa que foi lá que encontrou inspiração para escrever um de seus maiores sucessos: a canção “Refazenda”.

Ainda na Bahia, mas não mais em Itauçu, Gil reencontra pessoas que marcaram seu caminho, como Mãe Stella de Oxossi, Lucas Mascarenhas e toda a família. Também revê o músico Carlinhos Brown, o fotógrafo Pierre Verger, o escritor Jorge Amado e o parceiro e amigo Caetano Veloso. O filme ainda conta com outros convidados especiais, como Stevie Wonder. Além dos reencontros, “Tempo Rei” mostra Gilberto Gil em um show, apresentando algumas de suas canções mais conhecidas. A exibição é na Segunda da Música, 21 de dezembro, às 22h.