gusttavo lima
O cantor mineiro Gusttavo Lima (FOTO: Reprodução)

O músico e compositor André Luiz Gonçalves, conhecido no meio da música como De Lucca, abriu um processo contra Gusttavo Lima pedindo danos morais e materiais. Na ação judicial, o artista defende que o astro sertanejo usou indevidamente os direitos autorais de uma composição de sua autoria intitulada “Fora do Comum”, um dos hits na voz do sertanejo.

“Ele me chamou pra fazer uma parceria. Ele pediu pra eu gravar a música e mandar pra ele. Registrei a música e mandei pra ele. Passou uns dias e ele me ligou dizendo que só gravaria se eu aceitasse fazer uma sociedade com ele. Eu, de boa fé, achei que ele só acrescentaria o nome dele na composição, mas ele foi lá e editou metade da música e registrou como 50% sendo de autoria dele. Pra não perder tudo eu fui em outra editora pra registrar os meus 50% e não deixar de receber, porque quando eu fui registrar 100% da música no meu nome ele já havia feito o registro de metade. Ganhou esses anos todos com execuções nas rádios, plataformas digitais, além das vendas de CD’s e DVD’s”, afirma André.

VEJA TAMBÉM: Gusttavo Lima bebe demais e revela que passa horas “chupando periquita” da esposa

Ainda segundo o compositor, Gusttavo Lima teria lhe prometido lançar algumas de suas composições próprias onde ele seria creditado como coautor. “Ele me disse que lançaria outras músicas de composição dele e que me colocaria como coautor também, o que não aconteceu. Que as músicas eram sucesso e que eu não precisava me preocupar porque eu teria retorno. Disse que eu podia confiar nele e dar a parceria pra ele, porque depois ele iria me devolver a minha parte através de outras músicas. Só que num outro trabalho ele só colocou meu nome na música ‘Amor de Poeta’. Eu cheguei a assinar para receber os direitos autorais dessa canção, mas nunca recebi nada“, afirma De Lucca segundo informações apuradas pela colunista Fábia Oliveira.

O processo que tramita na 30ª Vara Cível de Goiânia já contou com duas audiências de conciliação que foram finalizadas sem acordo. Na última, que ocorreu em novembro de 2019, André afirma que a defesa de Gusttavo Lima ofereceu um acordo para que o músico recebesse “apenas” R$ 50 mil divididos em 10 vezes de R$ 5 mil. O escritório do cantor também teria lhe feito uma proposta para gravar um disco. Agora, a ação está encaminhada para decisão em 2ª instância. O valor da causa tramita na casa dos R$ 20 milhões.