Gusttavo Lima fica com nome sujo no SPC e Serasa após golpe

Publicado em 16/6/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Gusttavo Lima ficou surpreso quando foi até uma concessionária adquirir um carro novo, e descobriu que sua compra tinha sido recusada pois ele estava com o nome negativado. As informações sobre o assunto foram noticiadas pelo colunista Alessandro Lo-Bianco, no programa ‘A Tarde é Sua’, da jornalista Sônia Abrão, na tarde de quarta-feira, 16.

O músico estaria com uma série de restrições no Banco Central, Serasa, SPC, e estaria devendo em três cartões de créditos, de três instituições bancárias diferentes. O astro pediu até para a concessionária exibir os extratos da dívida, e acabou sendo comprovado que o seu CPF teria sido utilizado para realizar inúmeras compras em seu nome.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

VEJA MAIS: Remix de Girl From Rio de Anitta causa polêmica sexual na web: “Machista”

Logo se apurou que a carteira de motorista usada na abertura dessas contas, trazia a foto de outra pessoa, porém tinha os dados reais do cantor. O colunista Lo-Bianco informa ainda que Gusttavo teria tentado resolver os impasses com as instituições bancárias, porém acabou sendo forçado a entrar na justiça para resolver o problema.

A assessoria de imprensa jurídica do cantor se posicionou através de uma nota enviada ao programa: “A assessoria jurídica do cantor Gusttavo Lima por intermédio de seu advogado, Claudio Dias Bessas informa que foram adotadas todas as medidas judiciais e criminais cabíveis, diante da fraude praticada por uma pessoa que se utilizou dos dados pessoais do artista junto às instituições financeiras, praticando estelionato e abrindo contas digitais. Tomamos conhecimento das fraudes antes mesmo das instituições, pois os dados pessoais dos artistas são monitorados. Ingressamos com uma ação judicial e foi indeferido uma medida liminar para que as instituições cancelem todas as contas digitais. O caso ainda será investigado pela delegacia de crimes especializados por meio de um inquérito policial”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio