Michael Jackson
O cantor norte-americano Michael Jackson (FOTO: Reprodução_

They Don’t Care About Us”, foi lançada em 1995 e é considerada uma das músicas mais fortes de Michael Jackson, muito usada para protestos. Após a morte de George Floyd a canção subiu 100 posições na lista dos mais vistos do YouTube em apenas 24 horas.

O mundo inteiro está levando a mensagem da letra para apoiar os manifestantes a favor do movimento “Black Lives Matter” após o assassinato de George Floyd.


A canção pertence ao álbum HIStory (1995), e que inclusive teve um clipe gravado no Pelourinho (Salvador). Na letra Michael promove uma conscientização do seu público para as causas relacionadas com os direitos humanos.

Michael sendo um homem negro, sensibiliza os seus ouvintes e dar visibilidade para a questão do racismo e do preconceito. E ao mesmo tempo a canção é uma crítica para que os poderosos não ignorem os anônimos:

VEJA TAMBÉM: Katy Perry diz que filha mostrou dedo do meio em ultrassom: “Essa é a minha garota”

All I wanna say is that (Tudo que quero falar)
They don’t really care about us (É que eles não ligam pra gente)
All I wanna say is that (Tudo que quero falar)
They don’t really care about us (É que eles não ligam pra gente)

A letra cita nomes importantes de pessoas que lutaram pela igualdade dos direitos civis como Roosevelt e Martin Luther.

Além do clipe filmado no Brasil com o grupo Olodum, Michael ainda fez um segundo em uma prisão em Nova Iorque.

A filmagem na prisão carrega profundas implicações, não apenas sobre as condições das mesmas, mas também sobre a condição de pessoas comuns em uma sociedade disciplinada por constante vigilância e uma mais internalizada forma de poder.

“A música, na verdade, é sobre a dor do preconceito e ódio e é uma forma de atrair a atenção para problemas sociais e políticos. Eu sou a voz do acusado e do atacado. Eu sou a voz de todos. Eu sou o skinhead, eu sou o judeu, eu sou o negro, eu sou o branco. Eu não sou o que está atacando. Isso é sobre injustiças para pessoas jovens e como o sistema pode, erroneamente, acusa-los. Eu estou com raiva e ultrajado por eu poder ser tão mal interpretado.

No polêmico caso que causou comoção nacional nos EUA, o cidadão George Floyd foi morto por um policial de Minnesota, Derek Chauvin, após o policial lhe pressionar com o joelho no pescoço. Um vídeo de celular mostra o policial, que é branco, segurando Floyd por alguns minutos enquanto Floyd reclama que não consegue respirar. Floyd morreu pouco tempo depois em um hospital local.

Assista: