Hitler? Roqueiro detona Cardi B e compara Grammy ao ditador

Cooper cita a passagem mencionada de Isaiah antes de pular para uma analogia bizarra comparando o Grammy aos discursos de propaganda do ditador nazista Adolf Hitler

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

John Cooper, da banda de rock cristão Skillet, é a mais recente personalidade conservadora a se ofender com a apresentação de Cardi B e Megan Thee Stallion em “WAP” no 2021 Grammy Awards.

Cooper condenou a natureza erótica da performance que viu as duas artistas se esfregando e simulando sexo em uma cama de apoio gigante. Ele então comparou a reação de “despertar” do público como um exemplo de confundir o bem com o mal, citando um versículo bíblico do livro de Isaías: “’Ai daqueles que chamam o mal de bem e o bem de mal.’”

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Estamos vivendo em um mundo agora onde existem certos livros do Dr. Seuss que você não pode vender no eBay”, disse Cooper em seu podcast de vídeo “Cooper Stuff” (transcrito por Blabbermouth). “Eles são demais para qualquer um ter permissão para comprar; eles estão sendo arrancados de todas as livrarias e coisas assim. É demais; é muito mau. Mas você pode e deve aplaudir a degradação sexual de Cardi B e Megan Thee Stallion simulando sexo no Grammy. Este é o exemplo perfeito. Você deve comemorar. Na verdade, se você não comemorar, você é na verdade uma pessoa má e meio que não ama as pessoas. Você realmente não é legal.”

VEJA MAIS: Fortuna de Kanye West é avaliada em R$ 36,5 bilhões

Cooper então cita a passagem mencionada de Isaiah antes de pular para uma analogia bizarra comparando o Grammy aos discursos de propaganda do ditador nazista Adolf Hitler.

“Por que alguém chamaria o mal de bem e o bem de mal? É simples: porque eles apenas redefinem os termos”, disse Cooper. “A questão é: quem vai definir o que é bom e quem vai definir o que é mau? Todo ditador na história diz que o que eles estavam fazendo era bom. Isso é o que eles acreditam. Se você voltar e ler alguns dos discursos de Hitler, ele ficará, tipo, ‘Vou libertar as pessoas – livres da escravidão dos Dez Mandamentos’. Em sua mente, ele é um libertador. É sempre assim, galera. Tudo o que você faz é apenas redefinir o mal e redefinir o bem. Isso é o que está acontecendo agora no Grammy.”

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio