Irmã de Dinho, do Mamonas Assassinas, diz: “Não vivemos da imagem dele”

Irmã do músico afirma que as famílias dos outros integrantes da banda recebem participação nos lucros

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Recentemente, o acidente aéreo que matou os integrantes do Mamonas Assassinas, completou 25 anos. Contudo, nem tudo saiu como esperado por conta da pandemia do coronavírus.

A família de Dinho, vocalista da banda, que tem direitos sobre a marca Mamonas, diz receber criticas por causa de uma possível exploração da imagem do grupo em novos produtos com o nome da banda.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

VEJA MAIS: Site expõe dossiê sobre supostas traições de Nego do Borel; confira!

“A gente não vive da imagem do Dinho, nem da renda dele. Nossa família tem uma vida confortável, mas todo mundo aqui trabalha. Meu pai tem 75 anos e continua trabalhando como corretor. As empresas nos procuram e, se for uma proposta legal, a gente aceita. Quem é fã conhece nossa índole”, afirmou Grace Alves, irmã de Dinho, em uma live com Rebeca Agapito.

A irmã de Dinho chegou a afirmar que a família de todos os integrantes têm participação nos lucros dos Mamonas Assassinas: “Se nós fôssemos mercenários, como já chegaram a nos acusar, o filme sobre o Mamonas já tinha saído. Recusamos o primeiro roteiro porque tinha ali algumas inverdades, que poderia ferir a imagem da banda. Esse cuidado a gente tem porque meu irmão tem que ser lembrado pela alegria que ele levava para as pessoas. Todas as famílias podem usar a marca e ganhar com isso. Nós fizemos o registro, mas existe um acordo de cavalheiro entre as famílias. Somos todos amigos até hoje”, garantiu Grace.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio