A cantora norte-americana Ariana Grande (FOTO: Reprodução)

O irmão do homem-bomba que matou 22 pessoas em um show de Ariana Grande finalmente admitiu ter ajudado a planejar o ataque terrorista de 2017, revelaram as autoridades nesta segunda-feira (07). As informações são do New York Post.

Hashem Abedi, sempre negou saber dos planos de seu irmão Salman Abedi para um massacre no show da Manchester Arena, que também deixou centenas de feridos.

Mas, ele finalmente confessou seu envolvimento enquanto estava atrás das grades, onde foi sentenciado a passar pelo menos 55 anos depois de ser considerado culpado de 22 assassinatos.

VEJA TAMBÉM: Simone, dupla de Simaria, revela detalhes sobre prisão: “Muito torturante”

Embora Abedi estivesse na Líbia durante o ataque de maio de 2017, ele foi condenado em março por ajudar seu irmão a tramar e preparar sua matança na Manchester Arena, onde sete dos mortos eram crianças de apenas 8 anos de idade .

Ele tem sangue nas mãos, mesmo que não tenha detonado a bomba”, disse Max Hill, diretor de acusações públicas da Grã-Bretanha, no julgamento.

Outros 237 espectadores ficaram feridos e 670 sobreviventes relataram ter sofrido de trauma psicológico. Ariana Grande, por sua vez, disse que sofre de estresse pós-traumático até hoje.

Abedi ajudou a obter, comprar, armazenar e transportar os componentes da bomba de seu irmão, usando vários telefones, veículos e endereços em preparação para o ataque, segundo o julgamento.