jacaré
O ex-dançarino Jacaré (FOTO: Instagram)

O eterno Jacaré do grupo É o Tchan, cujo nome verdadeiro é Edson Cardoso atualmente mora no Canadá e revelou que está trabalhando como figurante de filmes e séries fora do Brasil, além de participar de campanhas publicitárias. “Minha vida atual está ótima, sou marido, pai e dono de casa. Minha família não foge dos padrões tradicionais, as crianças têm muita energia, parece que nunca acaba”, afirmou o dançarino que já vive há quatro anos no país nórdico.

Edson é casado com Gabriela Mesquita, com quem possui dois filhos pequenos (Rafael e Beatriz) e sua família vive na cidade de Vancouver. “Minha esposa sempre atenciosa como mãe, mulher, profissional e dona de casa. Somos uma família feliz, mas, claro, com defeitos, altos e baixos, mas sempre nos esforçando para fazer o nosso melhor”, revelou numa entrevista ao Gshow.

No último domingo (dia 3), o Domingão do Faustão reprisou os melhores momentos do grupo de axé na atração, e Jacaré afirma ter ficado muito contente com tal homenagem. “Ir ao Domingão sempre representou reconhecimento de um trabalho. Certamente, assim como eu, todos artistas se sentem muito honrados por ir lá. A vez que mais me marcou foi a primeira, no final de 1995, o grupo ainda tinha o nome Gera Samba. O programa foi gravado e não ao vivo, como de costume e ainda era no antigo Teatro Fênix. Outra vez que também amei ter sido convidado, e umas das últimas que participei, foi no quadro da ‘Pizza do Faustão”, relembrou o ex-dançarino.

VEJA TAMBÉM: Você sabia que Sandy e Junior já lançaram uma música sobre o pênis?

“Me tornei um profissional e me descobri artista dentro do É o Tchan. Foi através do meu trabalho dentro do grupo que recebi o convite para ir para a TV (na Turma do Didi [1998-2010]), no qual abracei a oportunidade e me profissionalizei como ator”, explicou. Ainda no bate-papo, ele afirmou que continua sendo reconhecido pelo seu trabalho no grupo de axé. “Fico sempre muito feliz quando as pessoas me contam o quanto se divertiram e curtiram o som do grupo. Fico super honrado quando encontro dançarinos e bailarinos que relatam nos ter como inspiração. Sinto muita gratidão por ter feito parte dessa história”, concluiu.