joao gilberto
O cantor baiano João Gilberto (FOTO: Reprodução)

A música brasileira perdeu no último sábado (dia 6) um dos seus maiores nomes: o cantor e compositor João Gilberto, considerado um dos pais da bossa nova, que morreu aos 88 anos.

A informação do falecimento foi comunicada pelo filho do artista, Marcelo Gilberto, através do Twitter. “Meu pai se foi. Sua luta foi nobre, ele tentou manter a dignidade à luz da perda de sua soberania”, escreveu.

VEJA TAMBÉM: Ludmilla critica jornalista que apontou recusa em parceria com Gloria Groove

A neta de João Gilberto, Sofia, também lamentou a morte do avô. “Meu vovô foi o vovô mais amoroso e carinhoso que eu podia ter tido. Pedia para eu ir para lá todos os dias e quando estava tarde da noite e já estava na hora de eu ir embora, depois de eu já ter passado o dia todo com ele, falava: – ‘mas já vai? Dorme aqui!’”, revelou.

Já o presidente Jair Bolsonaro (PSL) optou por se manifestar brevemente sobre a morte do ícone da música brasileira. “(Era) uma pessoa conhecida. Nossos sentimentos à família”.

A homenagem discreta gerou polêmica nas redes sociais, pois internautas compararam a manifestação do político à morte de MC Reaça, funkeiro envolvido numa polêmica de agressão e cantor de jingles do presidente. “Tales Volpi nos deixou no dia de ontem. Tinha o sonho de mudar o país e apostou em meu nome por meio de seu grande talento. Será lembrado pelo dom, pela humildade e por seu amor pelo Brasil. Que Deus o conforte juntamente com seus familiares e amigos”, escreveu Bolsonaro na ocasião.

Enquanto o político não voltou a comentar sobre a morte de João Gilberto, a Unesco lamentou o falecimento, afirmando que trata-se de “uma perda para o patrimônio cultural da humanidade”.