justin bieber
O cantor canadense Justin Bieber (FOTO: Reprodução)

Carl Lentz, pastor e mentor espiritual de Justin Bieber, foi demitido de seu cargo na famosa e polêmica Igreja Hillsong devido a “falhas morais”.

A “falha” em questão, foi uma traição. Porém, aparentemente o ex-namorado de Selena Gomez não gostou nada da conduta do amigo.

Um artigo de Roger Friedman para o site ShowBiz441 afirma: “Bieber, que canta e reclama sobre estar sozinho, e tem uma música chamada “Holy” na qual ele explora as crenças cristãs para vender discos, está promovendo uma nova “igreja””.

Segundo o autor, a igreja chama Churchome e é administrada por outro antigo amigo pastor do artista, Judah Smith. Eles se conhecem desde 2005, por meio da mãe do cantor. Foi ele, inclusive quem apresentou Bieber a Lentz.

VEJA TAMBÉM: Criador de série famosa DETONA participação de Justin Bieber: “Problemático”

Sobre a organização, a Marie Claire afirma: “A receita total da igreja no ano passado foi de cerca de US$ 20 milhões; $ 18,5 milhões desse valor vieram dos “dízimos”, tradicionalmente um décimo da renda e das ofertas dos congregados”.

O artigo ainda afirma que, como o Churchome é uma organização sem fins lucrativos, é isenta de imposto de renda federal. Nos últimos dias, Justin Bieber chegou a falar publicamente sobre a igreja.

Como todos vocês já sabem, sou um cara de Jesus. O que você pode não saber é que não sou um homem religioso. Eu sigo os ensinamentos de Jesus e acredito que ele é o Messias. Há muitas coisas que vi nas igrejas das quais discordo veementemente. Postura de julgamento, exclusão, ódio, tudo em nome do Cristianismo“, disse.

E continuou: “Eu não quero fazer parte disso. O que eu quero é amar e parecer com Jesus e mostrar às pessoas seu milagroso poder de cura. Se você estiver interessado em aprender mais sobre Jesus e seus modos extraordinários, visite o aplicativo Churchome gratuitamente na App Store“.

Vale lembrar que outros artistas já se desvincularam da Hillsong no passado. A igreja já era conhecida por possivelmente promover terapias de conversão, ou sediar centros de “cura gay”.