justin bieber
O cantor canadense Justin Bieber (FOTO: Reprodução)

Justin Bieber publicou nas redes sociais imagens de seus dois novos animais de estimação. São os felinos Sushi e Tuna, dois gatos pra lá de especiais. Os bichinhos são de uma raça exótica misturada, que na verdade é um híbrido de gatos domésticos com o serval, típico da savanas africanas. Os felinos custaram mais de 120 mil reais. A raça, vale ressaltar, é proibida em vários estados dos EUA.

Porém, um representante do PETA (People for the Ethical Treatment of Animals), que defende os animais, não aprovou a compra do cantor e criticou a atitude de Bieber.

View this post on Instagram

SUSHI ON THE LEFT TUNA on the right

A post shared by Justin Bieber (@justinbieber) on

Justin Bieber, então, não ficou calado diante das críticas e deu seu posicionamento. Leia:

PETA, vá focar em problemas reais! Tipo caça, ou crueldade animal. Vocês estão reclamando porque eu quero um típico específico de gato? Vocês não ligaram quando meu cachorro Oscar foi resgatado. Qualquer pet não deveria ser resgatado? Eu acredito em adoção e resgates, mas também acho que há preferências e para isso os criadores servem. PETA, vá ajudar a tirar os plásticos do oceano e deixe meus pets em paz”.

A compra dos gatos foi muito criticada, especialmente por instituições de proteção aos animais como a Big Cat Rescue e o PETA. As críticas ocorreram pois há milhares de gatos e cachorros para adoção pelo mundo, além daqueles animais que vivem em situação de rua.

VEJA TAMBÉM: Menina que é idêntica à Rihanna viraliza na web e se torna garota propaganda de marca de beleza

“Justin Bieber poderia inspirar seus fãs ao redor do mundo a salvar uma vida, adotando um gato de um abrigo local em vez de abastecer essa demanda perigosa por gatos híbridos, contribuindo para a crise da superpopulação e provando que, quando é em relação a ajudar os animais, a posição dele é ‘I Don’t Care’”, escreveu uma representante, mencionando a parceria do astro canadense com Ed Sheeran.

A adoção de animais ainda estimula um grande problema — os maus-tratos de quem vende os filhotes. Cadelas e gatas que dão a luz aos animais rarissimamente recebem o tratamento devido, e também precisam aguentar gestações frequentes em busca do lucro.

O PETA também reforça “[Comprar animais] dá força à crise de superpopulação animal, e toda vez que alguém compra um filhote ao invés de adotar de um canil, animais abandonados perdem a chance de achar um lar — e podem ser sacrificados”.