kanye west
O rapper norte-americano Kanye West (FOTO: Reprodução)

Em 30 de agosto de 2015, Kanye West, fez uma famosa declaração no MTV VMAs, “Decidi em 2020 candidatar-me à presidência”. Quase cinco anos mais tarde, o músico voltou a repetir tal ideia. No último dia de 4 de julho, ele tuitou: “Temos agora de realizar a promessa da América confiando em Deus, unificando a nossa visão e construindo o nosso futuro. Estou concorrendo à presidência dos Estados Unidos”.

Porém, até o momento, West não parece ter se apresentado oficialmente como candidato presidencial para a Comissão Federal de Eleições (FEC). Como a BBC News salienta, existe um antigo registo de 2015 para um candidato do Partido Verde chamado “Kanye Deez Nutz West” que angariou $0 até à data. Quando contatado pelo site Pitchfork, um representante da FEC também disse que não parece que West tenha apresentado oficialmente a sua candidatura.

VEJA TAMBÉM: Vídeos sensuais de Anitta são publicados em site pornô

O empresário bilionário Elon Musk de Tesla respondeu com o seu apoio imediato à candidatura de West; West tinha tuitado uma foto com Musk no dia 1 de julho. Além disso, Kim Kardashian, esposa do músico, também manifestou apoio à sua candidatura.

Vale ressaltar que os prazos de apresentação de candidaturas independentes já venceram em Indiana, Novo México, Nova Iorque, Carolina do Norte, e Texas. Não está claro se West planeja que o seu nome apareça nas urnas ou na campanha para a votação por escrito.

O anúncio da candidatura de Kanye West veio alguns dias depois de ter provocado os fãs com um novo álbum chamado God’s Country e aparecer creditado em duas novas faixas: “Wash Us in the Blood” com Travis Scott e “Ego Death” com Ty Dolla $ign, Skrillex, e FKA twigs.

Kanye West discute a sua potencial candidatura presidencial de forma intermitente desde o seu discurso no VMAs há 5 anos. Numa entrevista de 2015 com Dirk Standen para a Vanity Fair, ele disse: “Quando me candidato a presidente, prefiro não me candidatar contra alguém. Seria algo como ‘quero trabalhar contigo'”. Depois, no verão norte-americano de 2016, West disse à BBC Radio 1 para a apresentadora Annie Mac: “Quando falo da ideia de ser presidente, não estou a dizer que tenho quaisquer pontos de vista políticos. Apenas tenho uma opinião sobre a humanidade, sobre as pessoas, sobre a verdade”.

Mais tarde, em novembro de 2016, no concerto de San Jose, onde assumiu ser partidário de Trump, o músico delineou a sua própria estratégia de campanha para a multidão: “Se [Donald Trump] tomar o modelo, o mesmo modelo que eu vou tomar em 2020, se ele tomar o modelo para trabalhar com os melhores da classe, e para trabalhar a partir de um lugar de empatia, para as pessoas, para a família das pessoas, não apenas para a América, o mundo. Nós somos um só mundo, mano. Somos uma só raça, mano”.

No mês seguinte, após uma reunião com Trump, West mudou de tom e indicou que planejava candidatar-se à presidência em 2024, sugerindo que queria que Trump cumprisse dois mandatos. Mais recentemente, em abril de 2018, West autodenominou-se “o futuro presidente” num tweet. Numa entrevista de Abril de 2020 com Will Welch da GQ, contudo, West não disse que se candidataria durante este período e indicou que votaria em Donald Trump em 2020.