jorge e mateus
A dupla Jorge e Mateus (FOTO: Reprodução)

A dupla goiana Jorge e Mateus agitou a quarentena dos fãs na noite de sábado (dia 4), e alcançou mais de 3 milhões de acessos ao longo das quase 4h30 de duração. Um detalhe, porém, vem rendendo discussão nas redes sociais.

Se Gusttavo Lima organizou uma grandiosa live em sua mansão com oito funcionários, a dupla goiana parece ter levado a brincadeira a outro nível. Planejada para tentar manter os espectadores dentro de casa, a live chamou atenção por uma foto que mostrou uma razoável quantidade de pessoas trabalhando nos bastidores do show.

Muitos internautas reclamaram que o pedido de isolamento social, reafirmado pela dupla, não foi obedecido pelos próprios músicos na realização do show caseiro. A presença de um garçom usando máscara foi questionada por muitos internautas e segundo o colunista Leo Dias, a grandiosa transmissão contou com 18 pessoas na produção.

VEJA TAMBÉM: Escritório cobra R$31 milhões de Jorge e Mateus após polêmico rompimento de contrato

Jorge defendeu que a gravação contou somente com quem “era realmente essencial” e que os músicos “estavam tomando todos os cuidados necessários’. Os assessores explicaram que 18 pessoas participaram do projeto e houve rezamento por turnos no decorrer da produção do evento.

Os músicos teriam chegado poucos minutos antes do começo do show e toda a produção usava máscaras e luvas. “Frascos de álcool em gel foram espalhados pela casa. Não houve aglomeração. Seguimos todas as normas recomendadas pelo Ministério da Saúde”, afirmou a assessoria ao portal G1.

Veja a repercussão da foto do backstage do show:

No decorrer do show “Na garagem”, Jorge e Mateus fizeram doações do público e conseguiram arrecadar 172 toneladas de alimentos, 10 mil frascos de álcool gel além de 200 cursos para a área da saúde. A performance segue disponível no YouTube e já possui 36 milhões de visualizações.

Durante a live, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, fez um pronunciamento na transmissão e reafirmou a importância do distanciamento social. “Importante que a música chegue, mas que a gente não aglutine, que a gente não coloque as pessoas no mesmo lugar. Os shows são feitos de casa. O show não pode parar, mas a aglutinação tem que parar. A gente precisa agora proteger um ao outro e o sistema de saúde se preparar para, no momento certo, a gente poder se abraçar”, declarou.

ASSESSORIA EXPLICA POLÊMICA DE SUPOSTA AGLOMERAÇÃO

Logo depois da polêmica, a assessoria de Jorge e Mateus entrou em contato com o colunista Leo Dias para explicar que a live não ocorreu em nenhum bar como chegou a ser comentado nas redes sociais, A transmissão foi feita diretamente duma garagem de um sócio e eles e sua equipe afirmaram terem seguido a risca todas recomendações das autoridades médicas.

“Foram 18 pessoas no total. Na montagem, dividimos as equipes por dias e horários: A equipe de cenário montou na sexta, a equipe de som montou no sábado de manhã, e a equipe de filmagem entrou no sábado à tarde e já ficou pra live, como mostra no vídeo. O Jorge e o Mateus chegaram poucos minutos antes do início da live. Toda produção usou máscaras e luvas. Frascos de álcool gel foram espalhados pela casa. Não houve aglomeração! Seguimos todas as normas recomendadas pelo Ministério da Saúde”, diz.

A equipe dos cantores chegou a enviar um vídeo ao jornalista do UOL para mostrar como estava realmente os bastidores das gravações.