ludmilla
A cantora fluminense Ludmilla (FOTO: Reprodução)

O jogador Neymar vem acusando o zagueiro espanhol Álvaro González, do Olympique de Marselha, de ter discurso racista no jogo contra o PSG. Com a grande repercussão sobre o caso, a cantora Ludmilla utilizou seu Twiter para defender o atleta, que teria sido chamado de “Macaco Filho da Puta”.

“Para a branquitude não adianta se você é o melhor no que faz. Se é bem sucedido. Ainda assim, eles olham primeiro para a sua cor. Também não importa se a gente tem a pele mais clara ou mais escura.Eles sempre sabem quem nós somos. E como nos ferir! Ontem comigo, hoje com Neymar”, comentou Ludmilla.

VEJA MAIS: Filho de Michael Jackson revela seu verdadeiro nome em entrevista inédita

Lud aproveitou o assunto para comentar os problemas envolvendo as pessoas que não têm visibilidade para denunciar os casos de racismo: “Fora todas as pessoas que sofrem isso na pele todos os dias, mas não têm visibilidade. Pessoas que morrem diariamente por causa do racismo. E eles vivem a vida de boa enquanto a gente sofre. Até quando? Racismo é crime! Fogo neles, Ney! Tamo junto sempre, você é f…!”.

O imbróglio começou ainda no primeiro tempo do jogo. Num lance com González, o argentino Di María teria cuspido no jogador rival. No mesmo instante, câmeras da transmissão filmaram Di María e, principalmente, Neymar se queixando com o árbitro e com González: “Racismo, não”.

No final do jogo, já cercada de tensão e com o PSG perdendo por 1 a 0, Neymar seguiu discutindo com o espanhol. As imagens apontam que Neymar reforçou a acusação de racismo contra González.

Nos acréscimos, após um empurra-empurra no meio-campo, que acabou causando a expulsão de quatro jogadores expulsos, o VAR flagrou um tapinha que Neymar deu na cabeça do adversário. O árbitro do jogo, então, expulsou o atleta brasileiro.

“VAR pegar a minha ‘agressão’ é mole. Agora eu quero ver pegar a imagem do racista me chamando de ‘mono hijo de puta’ (macaco filha da puta). Isso eu quero ver!”, reclamou Neymar nas redes sociais depois da partida.

“Único arrependimento que tenho é por não ter dado na cara desse babaca”, completou o brasileiro.