luisa sonza
A cantora gaúcha Luísa Sonza (FOTO: Reprodução)

A cantora gaúcha Luísa Sonza explicou os conceitos por trás do seu novo álbum, “Pandora”, no Faixa a Faixa no Deezer. No especial da plataforma de streaming, a artista fez algumas revelações, como a que o álbum quase ganhou outro nome e que a faixa “Saudade da Gente” aborda o espinhoso tema da masturbação.

A cantora também fez uma brincadeira com a palavra “sonsa”, associada a ela por causa de seu sobrenome. “Devia ter falado ‘de sonsa não tenho nada’ quando fiz Pior Que Possa Imaginar”. No lugar do adjetivo sonsa, a letra traz a palavra santa.

VEJA TAMBÉM: Anitta indica não ter votado em Bolsonaro e afirma: “Temos que torcer para dar certo”

“Teve uma coisa que eu me arrependi de não ter colocado em Pior Que Possa Imaginar que tem aquela parte ‘de santa não tenho nada’ que depois eu pensei ‘na verdade não é santa’. Devia ter falado ‘de sonsa não tenho nada’. E eu me arrependi. Tem algumas coisas que me arrependi de não ter colocado nessa álbum, mas pretendo por no outro. E eu acharia muito legal ter feito isso, só que eu esqueci, sei lá, na hora de compor. E eu sempre falo: ‘nossa, deveria ter colocado essa palavra em vez de santa’, mas a santa também diz muito sobre a minha época de covers, do que a galera achava que eu tinha que ser”.

Já sobre a canção “Saudade da Gente”, Luísa Sonza revela que preferiu abordar um delicado tema. “Na verdade é uma música sobre masturbação. Ela tá pensando no cara, tá longe, só que o corpo dela quer mais. Por isso ela é uma música muito sensual, a mais sensual do álbum”.

A respeito da faixa “Eliane”, dedicada à sua mãe, a cantora conta que a música quase se tornou a faixa-título do projeto. “O álbum quase se chamou Eliane, faria muito sentido. Porque tudo, desde Boa Menina até Apenas Eu a raiz é a minha mãe e a minha avó. Então quase foi chamado de Eliane, mas virou Pandora porque tinha algo a mais aí depois da Luisa criança”.