Mãe, bissexual e adoção; as revelações sobre Amy Winehouse 10 depois

Publicado em 23/7/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No ano em que a morte de Amy Winehouse completa dez anos, algumas novidades sobre a artista vêm sendo divulgadas. Enquanto o canal BIS prepara uma programação exclusiva sobre a cantora e uma exposição cartunesca da artista é novidade aqui no Brasil, informações inéditas sobre um suposto fantasma da artista e a origem do seu antológico penteado vem rendendo cliques e burburinho na imprensa mundial. Além de tudo isto, o canal BBC Two lança nesta sexta (dia 23) o documentário “Reclaiming Amy“, que retrata a trajetória conturbada da cantora.

O projeto é narrado por sua mãe, Janis Winehouse-Collins, e apresenta imagens caseiras, fotos de família e entrevistas com amigos próximos que relembram. O filme revela algumas facetas menos conhecidas da controversa cantora, trazendo detalhes sobre um possível relacionamento homoafetivo de Amy com uma grande amiga chamada Catriona. A colega da artista revela no longa que a falecida estrela teria ficado “confusa” sobre a própria sexualidade depois que as duas dormiram juntas.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Falando à BBC sobre o documentário, Catriona disse que recebia bilhetes da cantora, dizendo coisas como, “Você é a garota mais linda que eu já vi“. Catriona diz que já era uma pessoa segura de sua sexualidade, pois estava em um relacionamento com uma mulher. No entanto, a cantora ficou confusa. “Nossa relação era tão única. Indefinida. Nós simplesmente nos amávamos muito e o que eu tirei disso, conhecendo-a, é que ela ficou confusa sobre o que isso a tornava”.

(FOTO: Amy Winehouse Forum)

“Quando você tem algo que é tão indefinido por anos é difícil, pois é uma coisa que eu acho tão fundamental para entendê-la [Amy] e as coisas que a incomodavam”, opina Catriona. Ela acredita que o público precisa saber que Winehouse também se relacionou com pessoas que a amavam e queriam fazê-la feliz. Além de Catriona, o documentário traz outros amigos e familiares de Amy Winehouse, que falaram sobre a cantora e o impacto da perda em cada um.

VOZ DE ‘REHAB’ TAMBÉM QUERIA SER MÃE

Em um vídeo raro de seu mais novo documentário, a cantora Amy Winehouse diz que sonhava em ter filhos. A revelação veio em uma entrevista em que Amy é questionada sobre onde ela gostaria de estar em 10 anos. Ela responde: “Eu gostaria de ter alguns filhos, dois ou três”. Amigos falando pela primeira vez confirmam isso. Catriona Gourlay confirmou brevemente: “Ela queria ser mãe”. Chantelle Dusette acrescentou: “Ela teria sido uma mãe linda”. O programa também apresenta os pais de Amy, Mitch e Janis, que se separaram quando Amy tinha 10 anos. Vale lembrar que os dois progenitores reclamaram muito do documentário Amy, vencedor do Oscar de Asif Kapadia, de 2015, por sugerir que Mitch e outros não fizeram o suficiente para ajudar a estrela.

Mais recentemente, uma jovem que Amy Winehouse queria adotar antes de sua trágica morte, diz que ainda pensa na lenda todos os dias – e diz que está convencida de que poderia tê-la salvado. As informações são do tabloide Mirror. Em uma entrevista emocionante, Dannika Augustin – agora com 20 anos e com um filho – lembrou como a cantora vencedora do Grammy sorriu de alegria, e seus demônios de bebida e drogas desapareceram quando elas estavam juntas. A dupla formou um vínculo inseparável durante o último ano de sua vida, juntas na idílica St Lucia, e a cantora de ‘Back to Black’ estava fazendo planos para levar Dannika para Londres, antes de morrer.

(FOTO: Reprodução)

A RELAÇÃO DE DANNIKA E AMY WINEHOUSE

Dannika estava morando com sua mãe solteira, que estava lutando para sobreviver, quando Amy a colocou sob sua proteção. A estrela, famosa por seu penteado em forma de colmeia, passou grande parte dos últimos três anos de sua vida em Santa Lúcia, onde alugou uma luxuosa villa de £ 2.000 por noite, no Cotton Bay Resort.

Ela começou a visitar a ilha em um momento em que sua vida pessoal estava turbulenta. Ela chegou lá totalmente pálida, mas sob o forte sol do Caribe, Amy Winehouse brilhou novamente. “Amy era uma pessoa diferente quando estava comigo e quando morreu, isso deixou uma grande lacuna na minha vida. Eu ainda penso nela o tempo todo e coloco sua música para tocar”, disse Dannika.

(FOTO: Reprodução Splash News)

Adoraria vê-la novamente agora e contar-lhe tudo o que tenho feito nos últimos 10 anos.” Elas se viram pela primeira vez em 2010, quando a cantora se tornou uma frequentadora assídua no bar de praia administrado por sua avó, Marjorie Lambert, na praia de Cas en Bas.

Dannika relembrou: “Ela conheceu minha avó primeiro e gostou do bar dela na praia, dizendo “Oh, você tem um lugar tão bonito. Ela começou a vir todos os dias e acho que tinha nove anos quando nos conhecemos. Lembro-me de ela se abaixar para dizer olá e dizer: ‘Oh, você é tão bonita’. Ela me abraçou e me fez sentir muito especial, mas no começo eu não sabia que ela era uma celebridade nem nada. Eu não ouvia a música dela, não sabia quem ela era.”

“Éramos apenas duas pessoas normais passeando na praia e nos divertindo juntas. Ela brincava comigo, me abraçava e dizia: ‘Você é tão adorável’. Amy foi tão boa comigo. Ela me comprava pizza e presentinhos. A villa dela era linda, mas nunca a vi como uma senhora rica, ela era apenas alguém que tinha uma vibração agradável e que era muito protetora comigo.”

Amy Winehouse, teve problemas com bebida e drogas durante grande parte de sua carreira, e morreu de intoxicação por álcool em sua casa, no norte de Londres, em 23 de julho de 2011, quando tinha 27 anos.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio