Mãe de Beyoncé rebate críticas sobre apropriação cultural da cantora

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Tina Knowles está defendendo o novo projeto de sua filha Beyoncé, intitulado “Black Is King”. A mãe orgulhosa falou sobre o assunto em seu perfil no Instagram nesta sexta-feira (03) e revidou os críticos que afirmam que a estrela pop está ‘se apropriando’ da cultura africana em seu próximo álbum visual.

Black Is King, que é baseada na trilha sonora que ela produziu para o remake animado de O Rei Leão de 2019, segue a história da “jornada transcendente de um jovem rei através de traição, amor e identidade própria, ao mesmo tempo em que celebra a resiliência e cultura negra”.    

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

As críticas de vários acadêmicos começaram logo após o lançamento do trailer, na semana passada, que apresenta Beyonce e uma variedade de criadores e talentos negros – alguns dos quais são da África – vestidos com trajes tradicionais africanos, completos com referências bíblicas e narração de Beyoncé com vocais suaves.   

Em defesa de sua filha, Knowles começou postando uma captura de tela de um tweet de um membro do Beyhive, um grupo de super fãs dedicados de Beyoncé, no Instagram.

“A coisa chata sobre a discussão capitalista com Beyoncé é Lemonade, seu álbum preto, é um dos álbuns mais vendidos dela”, começou o fã no tweet.

“Então, se estamos falando de lucro, ela não continuaria fazendo música destacando a negritude se fosse apenas para lucro.”

A mãe de Beyonce então pegou a legenda e deu sua resposta. “Obrigado, eu não poderia ter fala melhor. É realmente triste que as mulheres que gritam mais alto “protejam a mulher negra”, sejam elas que estão tentando derrubá-la. Irmãs acordem !!!!”, ela começou.

VEJA TAMBÉM: Vídeos sensuais de Anitta são publicados em site pornô

Knowles, 66 anos, continuou explicando como sua filha foi ensinada quando jovem a ajudar a levantar outras mulheres e não derrubá-las. 

“Ela cuida da sua vida, não critica ninguém, dedica seu tempo e dedica sua arte a mostrar com ousadia a realeza e a beleza de nossa herança e jornada! Seu trabalho é mudar a narrativa! Para mostrar que não começamos como escravos, mas que éramos reis e rainhas antes de sermos forçados à escravidão”, continuou ela.

Em um apelo emocional, Knowles pediu aos críticos de Black Is King que fizessem um inventário de si mesmos e de seu ódio.

“Peço que você examine seu coração e realmente dê uma olhada em qual é o seu motivo e porque é alimentado! Então pegue essa crítica de energia e destrua-a, e coloque-a em uma ação que está lutando contra o racismo sistêmico que está ocorrendo agora e que está ocorre desde sempre”, disse ela.

“Ela vendeu mais discos antes da Lemonade”, disse ela de acordo com o fã, antes de fazer uma pergunta aos críticos: “Como você se apropria da cultura negra quando é negra?” 

Knowles encerrou declarando: “Ela tem direito à sua herança, assim como a qualquer outra pessoa no mundo. Apenas considere as irmãs jovens, eu amo você e os irmãos, obrigado pelo seu equilíbrio e por se manifestarem.” 

Black Is King, que foi escrito, dirigido e produzido por Beyonce, será transmitido exclusivamente na Disney, a partir de 31 de julho. 

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio