A cantora MC Soffia (FOTO: Reprodução)

No último domingo (29), a mãe de MC Soffia, a empresária Kamilah Pimentel, publicou em seu Instagram um desabafo sobre um caso de racismo que sua filha sofreu pela loja A D A Z.

No áudio divulgado, é possível ouvir um dos donos da marca afirmando que foi levar o agasalho pessoalmente para a rapper, pois gostava de ver onde ‘esses’ artistas moram. O raper se mostrou indignado ao descobrir que cantora mora no centro da cidade em um prédio antigo, numa região que segundo ele é muito perigosa.

VEJA TAMBÉM: Lady Gaga, Madonna e Pabllo Vittar: 10 músicas que você não sabia que eram “cópias” de outras

MC Soffia que tem como principal objetivo lutar contra o racismo em suas letras, afirmou que ficou extremamente abalada: “Eu até chorei, com o tom amargo do racismo naquelas palavras, o racismo vem de todos os lados, precisamos estar bem atentas sempre”. diz a rapper.

“Não posso me calar, racismo é crime!” Afirma Kamilah Pimentel.

A Loja, por sua vez, publicou uma nota:

Gostaríamos de nos posicionar referente ao vazamento do áudio de um dos donos da marca ontem a noite que vem sendo compartilhado. Primeiramente, a atitude é de desculpas, por não se tratar do pensamento dentro do nosso projeto como marca, mas ao mesmo tempo de profundo entendimento, ouvidos abertos e disponibilidade para discussão.

Vale ressaltar que esse áudio está inserido em uma conversa de Whatsapp com um dos nossos ex funcionários, e foi repassado de forma descontextualizada com intuito malicioso de prejudicar nossa imagem. Em nenhuma momento foi citado questões racias/étnicas dos artista envolvidos.

Em momento algum menosprezamos o trabalho dos artistas, pelo contrário a primeira oportunidade que surgiu de associar a nossa marca a eles, dissemos sim sem pensar duas vezes. O fato de entregarmos pessoalmente as peças para os artistas é de se estabelecer pessoalidade e jamais para saber onde a pessoa mora, como foi interpretado por alguns. A crítica estabelecida foi sobre o ambiente em questão, qual gerou a sensação de insegurança a pessoa em questão que iria entregar as peças, e disso não tiramos nossa responsabilidade em cima da discussão. A desigualdade de classes e as percepções em cima delas estão enraizadas em nós como sociedade.
A crítica exposta no áudio foi colocada sim de maneira rasa, e por isso pedimos perdão. Entendemos que a discussão é maior que nós, que muitas marcas e instituições se baseiam e reproduzem estereótipos de classe, que muitas vezes estão relacionados a questões racistas, e por isso compreendemos e não tiramos o direito de revolta das pessoas que se ofenderam. Mas novamente queremos exaltar o fato isolado, apresentado de maneira rasa, e que essa discussão exige um desdobramento mais complexo, por isso estamos nos posicionando da maneira possível para que não haja dúvidas sobre nossa conduta como marca e como pessoas. Entendemos a importância e a necessidade da luta antirracista.