troye sivan

Nesta sexta-feira (dia 30), o jovem cantor Troye Sivan lançou “Bloom”, o seu segundo álbum em estúdio. Após o elogiado disco “Blue Neighbourhood”, de 2015, o australiano de 23 anos segue contando em suas composições algumas das experiências gays que teve sempre tentando abordá-las com certo otimismo.

“Eu não acho que o mundo precisa de um álbum sobre gays tristes agora”, afirmou o jovem cantor numa entrevista ao site POPcrush. “Eu acho que todos precisam ter algum tipo de alívio sonoro, lembrando que passamos por muitas dificuldades no passado e vamos continuar a atravessar, mas sempre estaremos bem”, explica.

O mencionado alívio sonoro se refletiu na enérgica “My My My!”, o primeiro single do disco. Já a faixa título, “Bloom”, foi talvez a canção de maior repercussão na carreira do cantor até aqui. Na letra, Sivan mostra liberdade ao falar de experiências sexuais, mesmo que de maneira implícita. A canção chegou a ser considerada um “hino para os passivos”, rótulo que o cantor já afirmou rejeitar. Outra música de destaque foi a intimista “Dance to This”, sua delicada parceria com Ariana Grande.

Sivan participou da composição de todas as faixas e o time de compositores contou com Brett McLaughlin, Alexandra Hughes e Bram Inscore.

Confira o novo álbum abaixo:

Trazendo grande representatividade gay em suas canções e com tantas declarações enaltecendo a comunidade LGBT, não seria exagero dizer que Sivan representa um dos maiores cantores gay de sua geração. O australiano até chegou a ser elogiador por Adam Lambert neste sentido, que declarou aprovar a ousadia de Sivan pelos versos da canção “Bloom”. Lambert, vale lembrar, foi o primeiro homossexual assumido a emplacar um álbum no topo da Billboard 200 nos Estados Unidos.

Troye Sivan rejeita rótulo de “hino dos passivos” para sua música “Bloom”

Muitos fãs de Troye Sivan consideraram que sua música “Bloom” seria a narração de alguém passando pela sensação de ser passivo no sexo pela primeira vez. Tida como uma espécie de hino para os adeptos desta posição sexual, a história porém pode não ser bem assim.

Em recente entrevista ao site Them, o artista comentou o assunto e respondeu se a canção representava o público gay. “Isso é completamente redutivo. Sem entrar em qualquer tipo de detalhes, essa foi uma música que escrevi sobre uma experiência em particular. Eu não estou marcando isso como eu para sempre. Definitivamente foi apenas escrevendo uma música”, afirmou.

VEJA TAMBÉM: Lady Gaga cantará nove canções solo na trilha sonora de “Nasce Uma Estrela”

Em um trecho da música, Troye usa uma metáfora para descrever uma situação que dá a entender que seja uma situação semelhante a um passivo perdendo a virgindade. “Prometa-me que você vai segurar minha mão se eu ficar com medo agora, talvez eu lhe diga para parar um pouco, querido, ir devagar, você deveria saber que eu, você deveria saber que eu, sim, eu floresço, eu floresço só para você”, canta ele.

“Bloom” foi o segundo single do novo disco a ser lançado como forma de divulgação do novo álbum que também já tem as faixas “My My My”, “Dance To This”, parceria com Ariana Grande e “Animal” também lançadas. O novo álbum homômino de Troye Sivan chegará às plataformas digitais nesta sexta-feira (dia 31).

Assista ao clipe de “Bloom”: