Majur e Liniker celebram amor próprio no clipe de “Rainha de Copas”

Faixa integra o álbum de estreia de Majur

Publicado em 27/10/2021 21:56
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Majur lança, nesta quarta-feira, 27, o videoclipe para “Rainha de Copas”, sua parceria com Liniker. A faixa faz parte da tracklist do álbum “Ojunifé”, primeiro da carreira da soteropolitana, na rua desde maio deste ano. “Esse é, com certeza, um dos clipes da minha carreira. Não só por apresentar eu e Liniker de uma forma nunca antes vista pelo público, mas também pelo significado que essa canção tem pra mim”, explica Majur.

O audiovisual tem direção assinada pelo filmmaker Marcos Cavallaria, que já trabalhou com Iza, e direção criativa de Bruno Pimentel, frequente colaborador de Majur, responsável também pelo figurino da cantora. Victor Miranda, conhecido por já ter vestido nomes como Pabllo Vittar e Luísa Sonza, assume os looks de Liniker.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Capa de “Rainha de Copas” (Foto: Thi Santos)

Você pediu, agora aguenta“, as artistas cantam no refrão, que versa sobre o amor próprio necessário para que elas assumam o protagonismo de seus relacionamentos. “Eu tive vários amores, conheci pessoas incríveis, vivi com muita intensidade, desejo e paixão. Tive bads, desencontros, também, um relacionamento abusivo. Mas quero que vocês se conectem com a saída desses momentos”, Majur reflete. Considerada pela intérprete o “ponto alto” de seu disco de estreia, “Rainha de Copas” foi produzida pelo DJ Ubunto.

“Rainha de Copas é uma analogia do curso da história da Majur, por um labirinto das suas memórias desde a infância. No clipe, usamos a linguagem de sonho, realizando tudo em estúdio, cenário feito pelo Galpão 8, de uma forma mais surreal e isso dá todo o tom especial do filme. Para dar a dimensão de sonho e realidade usamos uma fotografia surrealista, com um toque documental para trazer justamente a sensação de memórias e realidade”, explica Marcos Cavallaria, diretor do videoclipe.

O videoclipe conta com uma iluminação rica, que valoriza os looks e traz novas perspectivas audiovisuais. As cantoras usam vários figurinos, todos cheios de estilo. O brilho de pedrarias também ajuda a compor o visual maravilhoso do projeto. Majur e Liniker celebram suas belezas e seu poder, incentivando os fãs a fazerem o mesmo.

“O clipe traduz um trabalho super audacioso, lindo e representativo com as maiores artistas trans juntas. Trabalhar com a Majur e Liniker são minhas musas que me inspiram, na qual, contribuem singularmente com a pluralidade cultural e valorização da nossa arte”, complementa Cavallaria.

SOBRE “OJUNIFÉ”

O disco de estreia de Majur foi concebido nos últimos dois anos e reflete os aprendizados que a artistas absorveu nesse período. O nome vem do idioma iorubá e significa “olhos do amor”, simbolizando o amadurecimento pessoal e artístico da cantora soteropolitana e dando o tom do atual momento de sua carreira. Com participações de Luedji Luna e Liniker, produção assinada por Ubunto e Dadi e direção musical da própria artista, o álbum explora as diversas facetas dessa nova Majur, indo a fundo em suas vivências, amores e reflexões.

O nome (“olhos do amor”) vem exatamente para celebrar esse momento de plenitude, em que ela consegue olhar-se com o amor que merece. É um trabalho de força e fé na Majur do presente, que tem muito a compartilhar com o mundo. Sob essa ótica, do amor pleno por si, que Majur navega por reflexões sobre afeto, orgulho e outras vivências.

LETRA:
RAINHA DE COPAS (Composição: Majur)

Eu, você, nu, descalço, embaraço
Cinestesia
A cor, flor, som, baralho
Sabe meu jogo, quer tentar sua vez

Toca, cobre, alisa, desliza
Eleva o meu corpo e cai
Sabia que tentaria, então saberia
Que agora é minha vez

Você pediu, agora aguenta
Pegou pressão, não se esquenta não
Rainha de copas do baralho
Brincou de gato e rato
Cria de naja não brinca não

Você pediu, agora aguenta
Pegou pressão, não se esquenta não
Eu dei as cartas
No molejo você entrou dum jeito e sem saída
Roubei seu coração

Eu, você, nu, descalço, embaraço
Cinestesia
A cor, flor, som, baralho
Sabe o meu jogo e quer tentar sua vez

Toca, cobre, alisa, desliza
Eleva meu corpo e cai
Sabia que tentaria, então saberia
Que agora é minha vez

Você pediu, agora aguenta
Pegou pressão, não se esquenta não
Rainha de copas do baralho
Brincou de gato e rato
Cria de naja não brinca não

Você pediu, agora aguenta
Pegou pressão, não se esquenta não
Eu dei as cartas
No molejo você entrou dum jeito e sem saída
Roubei seu coração

Roubei, roubei, roubei, eu sou a ladra da vez
Rainha de copas do baralho quem manda
Roubei, roubei, roubei, eu sou a ladra da vez
Rainha de copas

Roubei, roubei, roubei, eu sou a ladra da vez
Rainha de copas do baralho quem manda
Roubei, roubei, roubei, eu sou a ladra da vez
Rainha de copas

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio