O músico carioca Marcelo Yuka segue lutando pela vida no Rio de Janeiro, onde permanece internado desde o dia 2 de janeiro. O artista acabou sendo hospitalizado em estado grave no hospital Quinta D’Or, em São Cristóvão.

Segundo informações do jornal Extra, o empresário de Marcelo Yuka, Geraldinho Magalhães, informou que o baterista acabou entrando em estado de coma de quinta para sexta-feira da semana passada.

Após a grande repercussão de fake news divulgando de maneira equivocada a morte de Marcelo Yuka, a família do músico optou por parar de divulgar informações sobre seu estado de saúde. Amigos mais próximos da família, porém, revelam que Yuka segue lutando contra uma infecção generalizada e continua respirando com a ajuda de aparelhos.

VEJA TAMBÉM: Little Mix grava “Señorita”, sua parceria com Luis Fonsi

Yuka foi um dos criadores da banda “O Rappa”, onde tocava bateria e foi responsável por clássicos como “A Minha Alma (A Paz Que Eu Não Quero)” e “O Que Sobrou Do Céu”. O artista teve um AVC no mês de agosto do ano passado porém não deixou sequelas.

Yuka acabou ficando paraplégico após tentar impedir, em novembro dos anos 2000, que oito bandidos roubassem o carro de uma mulher, na Zona Norte do Rio de Janeiro. O músico carioca, então, acabou sendo atingido na ocasião por nove tiros. Um dos mais importantes compositores dos anos 90 no Brasil, ele seguiu carreira (já não mais como baterista) no grupo  F.UR.T.O. – fazendo parte de um projeto social do mesmo nome.

O músico era filiado ao PSOL desde 2010 e chegou a ser convidado por Marcelo Freixo, candidato do partido para o cargo de prefeito nas eleições municipais do Rio de Janeiro, para integrar a chapa como candidato a vice-prefeito.