Maria Gadú desabafa sobre fase em depressão: “Tava cansada de mim, não do palco”

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Após uma pausa de dois anos e celebrando 20 anos de carreira, Maria Gadú deu uma entrevista ao jornal O Globo. Na conversa, a cantora falou sobre o seu retorno aos palcos, sobre o seu tempo fora da mídia e da sua luta pela causa indígena.

VEJA TAMBÉM: Site divulga carta psicografada de Cristiano Araújo

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Fiquei dois anos em turnê com “Guelã” (seu disco anterior, que traz no título a palavra “gaivota” numa das 274 línguas indígenas do Brasil). Queria ouvir outras coisas. Também queria espaço para estudar mais a fundo antropologia, que estudo desde 2014. Porque a história eurocentrista do Brasil não conta nossa história, minha origem indígena. E só tem um jeito de se aproximar da causa indigenista, de estudar isso: indo. E isso demanda outra relação com o tempo. Entre os indígenas há músicas lindas que duram dez horas” declarou Maria Gadú.

O hiato também foi importante para que a cantora cuidasse de sua depressão, que começou em 2014: “Eu comecei a lidar muito mal com o que vinha de fora, tudo me abalava muito. Não tava me sentindo pronta pra fazer isso que tô fazendo agora ( turnê, discos ). Eu precisava estar mais preparada. Durante a turnê, já fui direto do hospital fazer show. Nunca desmarquei apresentação. Criei uma relação com o palco que faz com que eu trate aquele compromisso como inadiável. Não tenho como mandar atestado. É muito bonito a tua profissão ser um ato de comunhão. Saio de casa com a mesma intenção de quem comprou ingresso. Não parei por cansaço do palco. Eu tava cansada de mim, não do palco”, afirmou a cantora.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio