tina turner
A lendária cantora norte-americana Tina Turner (FOTO: Reprodução)

É uma tarde quente em Tijuana, México, e Tina Turner está preparando o que deveria ser a noite mais romântica da sua vida. Ela tem 22 anos e acaba de casar com o músico de blues Ike Turner. Sonhando, ela se pergunta qual local ele escolheu – algum local paradisíaco, talvez – para a noite de núpcias. “Adivinhe para onde fomos”, exclama ela mais de meio século depois, numa entrevista com o The Mail, na revista Sunday’s You. “Para um bordel! Na minha noite de núpcias!”.

Uma vez lá dentro, com demasiado medo do marido violento, foi obrigada a assistir a um espectáculo sexual ao vivo. A jovem mulher de Nutbush, Tennessee, que cresceu cantando em um coro de igreja batista, tinha se casado em questão de horas.

A história de Tina e Ike Turner: o que o amor tem a ver com violência?
Tina Turner e Ike (FOTO: Reprodução)

Tina Turner (fotografada a actuar ao vivo no Royal Dublin Showgrounds em 30 de Maio de 1987) foi a um bordel na noite em que casou com o seu marido Ike quando tinha apenas 22 anos, ela revelou “A experiência foi tão perturbadora que a reprimi, eliminei e criei um cenário diferente, uma fantasia de fuga romântica”, diz ela.

Muitos fãs sabem detalhes do tormento conjugal que se seguiu à cantora, que foi relatado num livro, num filme e num musical. Ike – que era sexualmente pervertido e viciado em cocaína – abusou fisicamente dela durante toda a relação, usando de tudo, desde bengalas um pote de café fervente. Tina nunca revelou o que aconteceu no fatídico dia em que casaram na cidade fronteiriça de Tijuana, em 1962, quando as suas noções de amor foram brutalmente alteradas. Ela nunca contou a ninguém porque estava “demasiado envergonhada”.

Tina Turner (pictured performing live at the Royal Dublin Showgrounds on 30th May 1987) went to a brothel on the night she married her husband Ike when she was just 22, she revealed
(FOTO: Reprodução)

Agora com 80 anos, e de saúde frágil, tendo sofrido um AVC, câncer e insuficiência renal nos últimos cinco anos, está sentada no jardim do seu castelo suíço, a refletir sobre o casamento mexicano e a sua notável vida. Ela também fala abertamente da morte do seu filho, Craig, que tirou a sua própria vida aos 59 anos em Julho. Ela culpa – ainda que indiretamente – Ike por isso.

VEJA TAMBÉM: O dia em que o topless de Janis Joplin parou Copacabana

No início da década de 1960, ela estava nesta relação com seu amante e mentor dominador, sete anos mais velho, e já tinha experimentado o seu temperamento violento, tal como ela sabia das suas muitas infidelidades.

Ike & Tina Turner pose for a portrait with their son and step-sons in circa 1972. Clockwise from bottom left: Michael Turner (Son of Ike & Lorraine Taylor), Ike Turner, Jr. (Son of Ike & Lorraine Taylor), Ike Turner, Craig Hill (Son of Tina & Raymond Hill), Ronnie Turner (Son of Ike & Tina)
(FOTO: Reprodução)

Sim, ela estava apaixonada, mas não podia ver que o casamento com Ike seria desastroso. No entanto, quando lhe perguntaram, ela teve medo de dizer não. Dirigiram desde a Califórnia até Tijuana, uma cidade que, mesmo nessa altura, tinha perdido há muito o seu fascínio chique.

Os marinheiros eram atraídos pelos bordéis baratos. Os casais em fuga vinham para os “salões nupciais”, oferecendo casamentos baratos. Só Ike acabou indo para ambos. Tina diz: “As pessoas não conseguem imaginar o tipo de homem que ele era – um homem que leva a sua nova esposa a um espetáculo sexual ao vivo e pornográfico logo após a cerimônia do seu casamento. Lá eu sentei-me, neste lugar imundo, a ver Ike pelo canto do olho, a pensar: “Será que ele gosta mesmo disto? Como poderia ele gostar?”

Husband-and-wife R&B duo Ike & Tina Turner pose for a portrait in circa 1963
(FOTO: Reprodução)

“Foi tão feio. O artista masculino era pouco atraente e aparentemente impotente, e a rapariga… bem, digamos apenas que o que estava em exibição era mais ginecológico do que erótico. Eu era miserável o tempo todo, à beira das lágrimas, mas não houve fuga possível. Não podíamos sair até Ike estar satisfeito, e ele estava a divertir-se muito”.

Ela pôde ouvir os gritos daqueles que lhe diziam que deveria ter terminado o casamento (que duraria 16 anos) assim que ele começou. Em vez disso, ela se esqueceu da experiência. Algumas coisas que não se lembra. Algumas coisas não quer recordar. Essas lembranças remetem ao seu instinto”.

Ela acrescenta que a “cerimônia” não foi muito melhor. Ike sempre teve um ângulo. Ele deve ter descoberto que Tijuana era o melhor lugar para uma cerimônia rápida. Provavelmente nem sequer era legalizada. Mas não valia a pena questionar os seus motivos. “Isso só o deixaria furioso, e isso poderia levar a uma briga. Eu definitivamente não queria um olho roxo no dia do meu casamento”. Uma vez atravessada a fronteira, percorremos um caminho poeirento e encontramos a versão mexicana de um juiz de paz.

Tina and Ike pose for a picture with their back up dancers 'The Ikettes', circa 1971
(FOTO: Reprodução)

“Posso não ter tido muita experiência com casamentos, mas sabia que a ocasião era para ser emotiva e feliz. Não houve nada disso neste casamento. Ninguém disse: “Podes beijar a noiva”. Nada de brindes. Nada de felicitações. Nenhuma menção de viver feliz para sempre”.

Por pior que isso fosse, o que veio a seguir foi ainda pior. Enquanto Ike estivesse em Tijuana, ele queria divertir-se com o seu tipo de diversão. Após a visita ao bordel, os recém-casados regressaram a Los Angeles. No dia seguinte, eu estava a gabar-me às pessoas: “Adivinhem só? Oh, Ike levou-me a Tijuana. Casamo-nos ontem!” Convenci-me de que estava feliz, e fiquei contente durante um breve período, porque a ideia de que eu era casado tinha, de fato, um significado para mim. Para Ike, foi apenas mais uma transação”.

Ms Turner (pictured in 1990) reveals her troubled marriage to her husband Ike
(FOTO: Reprodução)

Segundo ele própria admitiu, os assuntos do Ike foram atingindo outros níveis. Os seus aposentos privados na sua casa em Los Angeles eram conhecidos como a Sala da Orgia. Tina finalmente decidiu deixar-lhe depois de que ele lhe bateu pela artista ter se queixado de que o marido tinha sujado seu terno branco com chocolate. Ele diria mais tarde, numa entrevista: “Não é culpa da mulher se ela ficar por perto e me deixar bater nela?”.

Ela descobriu que não era fácil divorciar-se sozinha. Foram disparadas balas contra uma das casas para onde ela se mudou, e um carro foi queimado. Durante algum tempo, ela carregou uma arma. Quando Tina saiu, ela tinha alguns trocados e uma única mala de mão em seu nome. Na ação de divórcio subsequente, ela não pediu dinheiro nem bens. Era o preço da liberdade. O divórcio do casal foi concluído em 1978 e Tina reconstruiu a sua carreira a solo, atingindo um recorde de vendas de 200 milhões de libras esterlinas, superando confortavelmente os próprios empreendimentos financeiros de Ike.

Ms Turner, performing at the MGM Grand Resort, Las Vegas, May 10, 1997

Antes de morrer em 2007, aos 76 anos, ele passou muito do seu tempo a tentar, sem sucesso, apagar a sua reputação com a esposa. Mais rencentemente, Tina foi obrigada a confrontar o seu passado quando Craig, seu filho, se matou no seu apartamento em Los Angeles com uma arma que tinha pertencido à mãe de Tina, Zelma. Ela diz que Craig cresceu solitário. “Acho que ele sentia muito a falta da sua mãe. Eu estava sempre fora, em turnê… e culpo Ike por não poder ser a mãe que eu teria sido”.

Na sua nova autobiografia – My Love Story – Tina escreveu sobre como Craig, com dois ou três anos de idade, na época, quereria desesperadamente se sentar com ela quando ela voltasse da turnê “mas sendo foi lhe dito por Ike que ele deveria ir para o seu quarto”. Tina Turner disse ao The Mail recentemente: “Fui a melhor mãe que pude ser, dadas as circunstâncias. Creio que, de alguma forma, cheguei ao Craig, mais tarde. Não me sinto mal por causa disso, porque essa era a minha realidade na altura. Eu não tinha opções”.

Tina Turner bids 'saddest' farewell to son Craig Raymond after he ...
Tina Turner e seu filho Craig (FOTO: Reprodução)

De seu suicídio, ela diz: “Craig pegou [a arma], comprou as balas e planejou muito bem sua própria morte. Ele queria ir. O que eu não sei é por que ele tiraria a sua vida de forma tão dramática. O mistério é esse”. Perguntada como está ela a lidar com a morte de Craig, Tina Turner diz: “Eu lido com isso com aceitação. Lembro-me de todos os momentos em que ele me visitou. Como todos os rapazes, ele era um pouco pestinha, mas ainda era meu filho. Eu lembro-me de todas as coisas boas e más”. Tina Turner depois do divórcio casou com o produtor musical Erwin Bach em 2013, após 27 anos juntos.

Tina Turner agora com 80 anos declara que já está pronta para morrer. Tina não tem dúvidas sobre a morte e é membro da organização de suicídios assistidos Exit. “Não quero sentar-me e sofrer. Pensei: “Chegou a minha hora” e por mim tudo bem…. ‘Decidi que preferia deixar o planeta… Mas o meu marido disse: ‘Não, não, não, Tina’. Eu não quero outra mulher na minha vida. Eu não estou pronta para lidar com isso“.

(artigo originalmente publicado no Daily Mail pelo jornalista Ian Gallagher)