marilia mendonca todos os cantos
A cantora goiana Marília Mendonça (FOTO: Reprodução)

A rainha da sofrência Marília Mendonça defendeu através das redes sociais o motoboy Matheus Pires, que foi alvo de ofensas racistas em Valinhos, cidade no interior de São Paulo.

O fato aconteceu em 31 de julho, mas só repercutiu após a mãe do rapaz de 19 anos compartilhar o vídeo nas redes sociais na noite da última quinta-feira (06).

As imagens foram gravadas por um morador de um condomínio de luxo em Valinhos e mostram um homem branco humilhando um entregador de aplicativo negro por causa de um atraso na entrega.

Um boletim de ocorrência foi aberto na delegacia da cidade para investigar o crime de injúria racial. O agressor é o contabilista Mateus Abreu Almeida Prado Couto que até o momento não prestou depoimento.

Nas redes sociais, o vídeo teve uma grande repercussão nesta sexta-feira (07). Em uma das postagens sobre o assunto, o apresentador Reinaldo Gottino tenta justificar a atitude do agressor. “Rapaz tem problemas mentais, informou o delegado que recebeu os laudos médicos”. 

No entanto, Marília Mendonça não se conformou e condenou a atitude do rapaz.

“Todo racista tem problema mental e de caráter. Não é por isso que ele não tenha que pagar”, respondeu a famosa.

No Twitter, ela também compartilhou uma mensagem de apoio ao Matheus.

Outra famosa que foi para as redes sociais falar sobre o assunto, foi a cantora Ludmila.

Em postagem no Instagram, ela chamou atenção para o racismo explícito no vídeo e compartilhou uma mensagem de apoio ao Matheus.

“E mais uma vez a gente está aqui vendo o racismo atuando. O que você faria se alguém invadisse seu espaço te trabalho apenas para te ofender por causa da cor da sua pele? Matheus não deveria passar por aquilo, assim como nenhum outro preto deveria passar por qualquer ofensa por causa da cor da sua pele”, escreveu a funkeira.

VEJA TAMBÉM: Manu Gavassi já fez plástica no nariz e colocou silicone; veja o antes e depois

Ludmilla ainda afirmou que continuaria falando e chamando atenção para casos como esses. “Não vamos nos calar mais”, desabafou.

“O que esse homem branco viu como desvantagem, a gente sabe que é algo sagrado, carregamos a história dos nossos ancestrais na nossa pele preta com muito orgulho. Fazemos reverência a eles e a nossa história. Nossa pele preta é o manto de reis e rainhas. E incomoda ainda a muita gente branca ver que nós não somos a história que eles querem contar da gente, de pessoas submissas, escravizadas…Somos muito maiores do que isso e vamos nós mesmos contar as nossas histórias!”, completou.