MC-Loma-e-Gêmeas-Lacração
(FOTO: Divulgação)

Impedida de fazer apresentações desde o mês de julho, a cantora MC Loma viu seu problemas se tornarem ainda maiores: agora, a artista e as Gêmeas Lacração precisarão lidar com uma dívida milionária de cerca de R$9 mihões.

As três jovens foram proibidas de se apresentar por conta de uma disputa com o ex empresário do trio e sua agência, a Start Music. As cantoras decidiram romper o contrato de cinco anos firmado em fevereiro após acusarem o empresário de não repassar os lucros integrais das apresentações das artistas que chegaram a custar R$ 15 mil por apresentação.

VEJA TAMBÉM: Sthefany do Crossfox fala sobre mudança para o gospel: “Chamado de Deus”

Porém segundo cláusulas contratuais, caso realmente queiram rescindir o vínculo com a Start Music, MC Loma e as Gêmeas Lacração terão que pagar R$ 3 milhões, cada uma, para custear a multa pelo rompimento do contrato. As informações são do jornal Extra.

A disputa segue em segredo de Justiça, por envolver uma artista que é menor de idade, já que MC Loma completou 16 anos na última segunda-feira (dia 29). Enquanto MC Loma e as Gêmeas Lacração seguem impedidas de fazerem shows, as artistas continuam lucrando com parcerias e divulgando marcas nas redes sociais.

Empresário nega “calote” à MC Loma e rebate as acusações

O empresário de MC Loma e das Gêmeas Lacração, Marcelo Fernandes, decidiu se pronunciar sobre as graves denúncias da funkeira. O profissional negou a acusação de que não estaria repassando os lucros dos shows às cantoras.

De acordo com informações do jornal Extra, MC Loma move um processo contra a empresa Start Music, empresa que administra a carreira do trio. A acusação seria de que apenas parte dos cachês dos shows estaria sendo repassado às jovens.

VEJA TAMBÉM: Com homenagem emocionante, Ariana Grande lamenta não ter salvo Mac Miller das drogas

Porém segundo Marcelo Fernandes cerca de 60% do cachê é repassado todo mês para Loma e as gêmeas Mariely e Mirella Santos. O valor seria cerca de R$ 20 mil por mês para cada uma das jovens.

Vamos dar um exemplo: elas fazem em média dez shows por mês, com cachê em torno de R$ 15 mil por show. São R$ 150 mil. Aí, temos os gastos de mais ou menos 40% desse valor com equipe, translado, etc… Vamos falar que sobrou R$ 100 mil. 40% são da Start Music e 60% são divididos pelas três, o que dá em torno de R$ 20 mil para cada uma. E tudo foi depositado para elas. Nós temos comprovantes”, explica o empresário. “Somos uma empresa transparente demais com os nossos artistas”.

O empresário revelou ao jornal que se surpreendeu com o acontecido pois, ficou sabendo da situação através de um dos advogados das cantoras. Porém, ele declarou que torce para que a situação se resolva de uma maneira amigável.

Tudo começou quando a a Justiça a proibiu de fazer shows por ela não estar matriculada em uma escola. Os shows foram cancelados. Aí, eu falei para ela que o nosso advogado está tentando tirar o alvará para ela trabalhar. A Loma, do nada, parou de falar com a gente pelo nosso grupo do WhatsApp e passou a postar coisas nas redes sociais. Ela abriu um processo contra a nossa empresa e isso nos pegou de surpresa. Tudo o que ela tinha para receber, ela recebeu. Não queremos brigar, queremos sentar, conversar e que ela continue sendo a nossa artista”, afirma.

Um detalhe importante do caso é que o contrato de MC Loma e as Gêmeas Lacração com a empresa tem uma duração de cinco anos e o rompimento pode causar o pagamento de multa. “Se elas romperem agora, terão que pagar multa por quebra de contrato, que equivale a R$ 3 milhões cada uma. Isso iria prejudicar muito a ela, e não queremos que isso aconteça. Queremos entender o que se passa e voltar a trabalhar com ela. A Loma é uma criança, tem 15 anos, não sabe o que posta”, afirma o empresário. “Ela alega, inclusive, que não tem dinheiro para pagar o advogado. Se a gente reivindicar alguma coisa, ela vai ter que depositar R$ 39 mil (que é o valor que ela está cobrando). E ela tem dinheiro, eu tenho como comprovar. Tenho o extrato da conta dela, já que ela teve que me mandar para eu tirar o seu passaporte”.

Marcelo Fernandes revela que além do cachê recebido, MC Loma ainda tem ganhos como figurinos e moradia financiados pela empresa.

“A Star Music não cobra os investimentos dos seus artistas. Aluguei um apartamento mobiliado para ela em São Paulo com três dormitórios, e ela ainda diz no processo que estava morando em condições precárias. Se ela não quiser mais trabalhar conosco, é só ir até o nosso escritório com os pais que nós vamos conversar. Quero ouvir as meninas, entender o que está acontecendo e falar para elas que a gente quer muito que elas voltem a trabalhar conosco”.

Sem poder comentar o assunto por questões contratuais, MC Loma citou o “momento difícil” que vem passando nas redes sociais. “Foram tantos planos que criamos, tantas dificuldades que passamos. E hoje, eu só posso lembrar dos bons momentos. Acreditei, confiei e me decepcionei”, lamentou.