(FOTO: Divulgação Metrô)

Os cidadãos que usam o metrô para se locomoverem devem ter percebido que, desde o início de julho, algumas estações estão com música como som ambiente. Atualmente 55 estações da capital já contam com 200 músicas de gêneros como música clássica, bossa nova, samba, jazz e MPB. De acordo com o Metrô paulista, a ideia é que o som ambiente possa diminuir o stress dos usuários.

A empresa responsável pela seleção das músicas é o Instituto de Cultura e Cidadania (iCult), que recebe R$ 39 mil por mês do Governo de São Paulo para criar e reproduzir as playlists, de acordo com o Bom Dia SP. A informação foi divulgada pelo site Tecmundo na reportagem do jornalista Felipe Payão.

Após a publicação da matéria o metrô enviou o seguinte comunicado ao site:

O Metrô+Música é um projeto de sonorização das 55 estações das Linhas 1–Azul, 2–Verde e 3–Vermelha e seus respectivos trens (142). Para operacionalizar o sistema, o Metrô utilizou infraestrutura já existente de autofalantes e paga, portanto, apenas a manutenção e o recolhimento dos direitos autorais das músicas, que é feito pela ICULT (Instituto de Cultura e Cidadania). Esses pagamentos são de R$ 39 mil/mês; os direitos autorais são devidos em aproximadamente 30% da músicas da playlist e as demais são de execução livre”.

Segundo a assessoria do Metrô, a contratação da empresa iCult foi feita pela agência CC&P (Companhia de Comunicação & Publicidade).