Michael Jackson chorou ao ser questionado por Marlon Brando sobre abusos sexuais e pedofilia

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

As polêmicas acusações sobre supostos abusos sexuais e pedofilia que o cantor Michael Jackson enfrentou durante as últimas décadas da vida, se tornaram um dos assuntos mais delicados da cultura pop.

Nesta semana novas informações divulgadas prometem causar ainda mais burburinho em torno do assunto. O podcast Telephone Stories publicou trechos de um depoimento dado pelo lendário ator Marlon Brando, amigo de Jackson, para a procuradoria de Los Angeles no ano de1994. O ano é justamente quando as primeiras investigações sobre o cantor começaram a aparecer na imprensa. Os detalhes do diálogo permaneciam em sigilo até então.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No depoimento, o astro de O Poderoso Chefão falou sobre um conversa que teve com o Rei do Pop sobre sexualidade e todas as suspeitas de pedofilia. De acordo com Brando, Michael chegou a chorar quando foi confrontado pelo ator sobre o tema, explicando que odiava seu pai, Joe Jackson.

VEJA TAMBÉM: Jennifer Lopez é processada por ser sexy demais e ter ficado “pelada” em show

“Com essa atitude, acho razoável concluir que ele pode ter feito alguma coisa com as crianças”, disse o ator à Justiça. “Minha impressão foi de que ele não quis responder porque ficou com medo de me responder”, explicou Brando no depoimento de 1994.

Durante o diálogo, o ator chegou a perguntar se Michael Jackson era virgem. “Ele riu e me chamou de Brando”, declarou. “Ele disse ‘ah, Brando’. Eu falei ‘bem, como você faz sexo?’ e ele ficou constrangido”, revelou o artista. Brando ainda perguntou se o astro pop tinha amigos. “Ele disse ‘eu não conheço ninguém da minha idade’, eu perguntei ‘por que não?’ e ele disse ‘eu não sei’”, contou segundo informações do Page Six.

Marlon Brando e Michael Jackson permaneceram amigos até a morte do ator, no ano de 2004. Já o astro pop faleceu cinco anos depois em 25 de junho de 2009.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio