michael jackson
O cantor norte-americano Michael Jackson (FOTO: Reprodução)

Um mês após a estreia de Leaving Neverland, documentário da HBO que apresenta supostos casos de pedofilia cometidos pelo cantor Michael Jackson, sua família resolveu rebater as declarações produzindo uma outra obra.

A família Jackson apresenta agora, o documentário “Neverland Firsthand: Investigating the Michael Jackson documentary”. Com 30 minutos de duração, o média metragem tem o objetivo de manter preservada a imagem e o legado do astro pop e assim transformar as acusações sobre o cantor em meras declarações infundadas.

Dirigido por Eli Pedraza, a produção foi lançada gratuitamente no YouTube e, em tradução livre, o título significaria “Neverland em Primeira Mão: Investigando o Documentário de Michael Jackson”.

VEJA TAMBÉM: Camila Cabello estrelará versão moderna de Cinderella

No curto documentário, os entrevistados são os sobrinhos de Michael, Taj Jackson e Brandi Jackson, além do diretor técnico do projeto, Brad Sundberg. Os depoimentos de Brandi são polêmicos pois a depoente afirma ter namorado durante sete anos com Wade Robson, um dos acusadores por trás das denúncias de Leaving Neverland.

“Ele sempre foi um oportunista, sabe como se posicionar em situações diferentes que irão beneficiá-lo financeiramente. […] Ele está dizendo que meu tio o manteve longe das mulheres, o que não é verdade. Nós estávamos justamente falando sobre como meu tio nos uniu. […]”, revela a sobrinha de Jackson.

A declaração foi duramente criticada por Wade que em um comunicado à Billboard, afirmou que “A senhora Jackson não estava com Wade e Michael Jackson quando o abuso sexual ocorreu e, como tal, ela não tem nada relevante a dizer sobre o assunto”.

VEJA TAMBÉM: Anitta lançará música com rapper parceiro de Katy Perry

Segundo informações da revista People, a família chegou a entrar com uma ação estimada em US$ 100 milhões contra o canal HBO. Ao veicular o documentário, a emissora teria estaria quebrando uma antiga cláusula de contrato datada de 1992, com relação a um show televisionado naquele ano, onde a HBO concordou em não criticar Michael Jackson em sua programação.

Desde o lançamento do documentário com base nos depoimentos de Wade Robson e James Safechuck, há uma constante troca de declarações agressivas entre as supostas vítimas e a família do rei do pop.

Michael Jackson faleceu em 25 de junho de 2009, aos 50 anos de idade, após tomar uma dose de sedativos. Confira abaixo o documentário lançado pela família do cantor: