michael jackson
O cantor norte-americano Michael Jackson (FOTO: Reprodução_

Talvez nunca exista provas concretas de que Michael Jackson abusou sexualmente de Wade Robson e James Safechuck no rancho Neverland quando eram meninos, como os dois alegam de forma convincente no documentário de quatro horas da HBO “Leaving Neverland”.

Mas muito se questiona sobre a vida pessoal de Jackson, a qual ele deliberadamente deixou muitas de suas escolhas inexplicáveis ​​ao público, deixando milhões de fãs, especulando e espalhando rumores.

VEJA TAMBÉM: Maiara volta a apagar fotos com Fernando e ele desaba na web: “Vontade de fazer nada”

Veja cinco boatos a respeito da vida pessoal de Michael Jackson:

O pai de Michael Jackson abusou sexualmente dele quando criança 

Jackson foi acusado de abuso sexual com crianças. Ele teve que pagar US $ 20 milhões no início dos anos 90 para um garoto que o acusou de estupro, já em 2005 foi considerado inocente em um julgamento com acusação de ter abusado de outro garoto. E agora veio à tona o explosivo documentário “Leaving Neverland”. É possível que ele estivesse repetindo um ciclo de abuso? O best-seller de 1991 do biógrafo J. Randy Taraborrelli, “Michael Jackson: A Magia e a Loucura”, relatou que os rumores do abuso sexual do patriarca da família Joseph Jackson “circulavam por muitos anos na indústria da música“. Nesse mesmo ano, a irmã de Michael, La Toya Jackson, escreveu um livro de memórias, “Crescendo na família Jackson”, que acusava o pai de abusar sexualmente dela e da irmã Rebbie. 

Mais tarde, La Toya retratou suas alegações, e ninguém na família Jackson confirmou nenhum desses rumores. O rei do pop sofreu muitos castigos corporais vindo seu pai. Ele chorou durante uma entrevista de 1993 com a Oprah Winfrey e acusou o pai de abuso físico. Michael teve muitas oportunidades de culpar seu pai por abusos sexuais, e ele nunca o fez. Não há evidências conhecidas para apoiar os boatos de que Michael Jackson realmente abusou de crianças.

Michael Jackson era gay ou assexuado

O cantor declarou diversas vezes que não era gay, mas alguns repórteres e biógrafos sugerem que ele não estava exatamente sendo sincero com o público. Ian Halperin, autor de “Desmascarado: Os Anos Finais de Michael Jackson”, de 2009, relata que Jackson era gay; Taraborrelli sugere que ele tinha um romance com outro homem, e Randall Sullivan, autor de “Intocável: a vida estranha e a morte trágica de Michael Jackson”, de 2012, o chama de “assexual”. Sullivan alega, sem nenhuma evidência real, que ele era “uma virgem de 50 anos” quando morreu. 

O problema com tais teorias é que as mulheres que estavam em posição de conhecê-las as contradizem. A ex-mulher de Jackson, Lisa Marie Presley, disse que a vida sexual do casal era “muito quente”. E outras mulheres apontaram relacionamentos românticos com ele, incluindo Ola Ray, co-estrela do vídeo “Thriller”, que disse tê-lo beijado. Theresa Gonsalves, que diz que era namorada de Jackson enquanto filmava “The Wiz” em Nova York nos anos 70, afirma que eles fizeram sexo mais de uma vez.

Michael Jackson queria ser branco

Em 1987, depois que “Thriller” fez de Jackson a maior estrela do mundo, ele lançou seu grande sucesso, “Bad” e logo Michael estava por toda a MTV com seus singles de sucesso. Mas ele estranhamente parecia mais branco do que em “Thriller”. Muitos fãs falaram que Jackson, que se tornou uma estrela da “gravadora negra” Motown Records no início dos anos 70, estava dando as costas para suas origens por buscar uma adoração de um público branco. Greg Tate, um crítico cultural afro-americano do Village Voice e de outras publicações, o chamou de “outro negro enlouquecido porque seu espelho relata que seu rosto não está de acordo com o ideal nórdico“. Steven Shaviro, autor e acadêmico branco, disse: “Em uma sociedade supremacista branca, ele queria se tornar branco“. 

Mas Jackson sempre insistiu no contrário, e nunca houve nenhuma evidência para contradizê-lo. Ele disse a Winfrey na entrevista de 1993 que clareava a pele com maquiagem por causa do vitiligo, uma doença que lhe dava manchas claras e escuras e uma autópsia verificou o diagnóstico depois que ele morreu em junho de 2009. Seu irmão Jermaine Jackson também reconheceu a condição como vitiligo e escreveu: “Ele parece um homem branco salpicado de café.” Michael, disse certa vez à Winfrey: “Sou um americano negro, tenho orgulho de ser um americano negro, tenho orgulho da minha raça … tenho muito orgulho de quem sou.

Michael Jackson não inventou o Moonwalk 

Jackson estreou esse passo durante sua performance de “Billie Jean” no especial de TV de 1983 “Motown 25.” Isso foi um ato de um verdadeiro gênio artístico? A irmã de Michael, La Toya, disse em 2004: “Havia um dançarino, Jeffrey, que estava sempre fazendo o moonwalk Ele ensinou a Michael.” Ela estava se referindo a Jeffrey Daniel, Casper Candidate e Cooley Jaxson, que haviam aparecido no show de dança alguns anos antes para fazer uma coreografia chamada boogaloo. O próprio Jaxson mais tarde reclamou que o rei do pop evitava dar crédito total aos seus professores: “Nós meio que acabamos sendo invisíveis, mas nunca falamos nada sobre isso.”

Um vídeo do YouTube postado após sua morte mostra variações da mudança de Cab Calloway, Sammy Davis Jr., Fred Astaire e muitos outros. E em seu livro de memórias de 1988, “Moonwalk”, Jackson menciona “três crianças”, que lhe ensinaram o básico da dança de rua. 

Mas Jackson teve uma visão completamente nova para o passo: “Eu andaria para trás e para a frente ao mesmo tempo, como caminhar na lua“, escreveu ele. Na noite anterior à apresentação do “Motown 25”, Jackson fez o movimento sem parar na cozinha da casa de seus pais. “Eu meio que deixei a dança se criar“, escreveu ele. Ele combinou vários elementos diferentes para formar algo que ninguém jamais havia visto antes, uma dança que era toda sua, e com a qual ele será identificado para sempre.

Michael Jackson morreu sem nariz. 

Após a morte de Jackson, uma história da Rolling Stone sobre seu nariz deu o que falar: “A prótese que ele normalmente colocava no nariz danificado estava faltando, revelando pedaços de cartilagem em torno de um pequeno buraco escuro“. Uma análise de fascínio de sua cirurgia facial ao longo dos anos lembrou que, em 2002, “muitas pessoas pensam que o nariz de Jackson está caindo ou que ele está usando uma prótese. A irregularidade na ponta é na verdade fita de papel, usada por cirurgiões plásticos para controlar o inchaço. ” 

A autópsia de Jackson mostrou que ele tatuou os lábios de rosa, o couro cabeludo preto (possivelmente para deixar a linha do cabelo mais uniforme quando conectado às perucas) e as sobrancelhas mais escuras. Mas um médico legista do condado de Los Angeles, Ed Winter, disse que os rumores no nariz eram “absolutamente falsos“. Segundo ele, “as pessoas fazem parecer que ele tinha esse nariz de cera que ele tirava à noite e vestia de manhã.”