Em seu auge, Michael Jackson lançou a canção The Girl Is Mine como primeiro single do álbum ‘Thriller’.

Porém, como afirma o site MJBeats, a música em parceria com Paul McCartney foi acusada de plágio: “Um dos meus professores — Dale Cohen — que ensina legislação de mídia — nos primeiros dias de sua carreira trabalhou como membro da equipe de Michael Jackson em sua defesa contra a reivindicação de plágio da canção The Girl Is Mine“.

O professor conheceu o Rei do Pop enquanto fazia testemunha sobre o caso, antes do julgamento. Ele conta que logo em seu primeiro encontro com o artista, ele já ganhou um apelido carinhoso do mesmo: “Chip Dale”.

VEJA TAMBÉM: Lady Gaga, Madonna e Pabllo Vittar: 10 músicas que você não sabia que eram “cópias” de outras

Ele ainda contou sobre um momento emocionante com o cantor. Ele disse que o chefe do escritório chegou até ele e disse: Se você estragar, você será demitido”. Michael, então, o abraçou e reconfortou: Não se preocupe. Se você estragar algo, eu o protegerei!’’.

O site ainda afirma: “De acordo com Dale, durante o testemunho, Michael foi simplesmente terrível!. Não se lembrava de nenhuma data, não entendia o que lhe perguntavam”.

FOTO: GQ/Reprodução

Michael Jackson chegou a mudar parte do depoimento posteriormente, onde contava o lugar que escreveu a canção: primeiro disse que foi em sua casa em Encine e depois editou para “seu apartamento em Los Angeles”.

O artista afirmou no tribunal que apenas mudou a resposta a pedido de seus advogados.

Por conta de sua honestidade e talento performático, o irmão de Janet Jackson foi inocentado.

O perito havia encontrado apenas 3 notas semelhantes nas músicas, mas essas notas já eram comuns em outras músicas. Nos créditos oficiais da música, aparece Michael como o único composior e Quincy Jones como único produtor.

O advogado ainda disse que, por conta da preparação de defesa, ele pôde ouvir músicas inéditas do Rei.