michael jackson
O cantor norte-americano Michael Jackson (FOTO: Reprodução)

La Toya condenou publicamente seu irmão, Michael Jackson, e disse que ele era um “predador de crianças e abusador sexual” em uma entrevista para a MTV em 1993.

O “desenterro” da entrevista vem logo apóso documentário “Leaving Neverland” da HBO, centrado em alegações feitas por James Safechuck e Wade Robson, que dizem que Michael Jackson os abusou sexualmente quando crianças.

La Toya, em uma entrevista coletiva, disse aos repórteres que ela “não pode, e não será, uma colaboradora silenciosa de seus crimes contra crianças pequenas e inocentes”. Ela estava respondendo a acusações de agressão sexual feitas pelo pai de Jordan Chandler, de 13 anos, no início daquele ano.

VEJA TAMBÉM: Criador de série famosa DETONA participação de Justin Bieber: “Problemático”

Se eu permanecer em silêncio, isso significa que alimento a culpa e a humilhação que essas crianças estão sentindo, e acho isso muito errado“, disse La Toya, antes de acrescentar que sua mãe havia mostrado seus cheques em “quantias muito, muito grandes” que tinham foi feito para os pais dessas crianças.

A irmã de Michael Jackson ainda revelou que, como ela mesma era uma sobrevivente de agressão sexual, não podia, em sã consciência, manter silêncio sobre as acusações contra seu irmão.

Eu também sou uma vítima e sei como é, e essas crianças vão ficar com cicatrizes para o resto de suas vidas. E não quero ver mais nenhuma criança inocente sendo afetada dessa maneira“, disse.

FOTO: Reprodução

Ela ainda completou: “Eu amo muito Michael, mas sinto ainda mais pena dessas crianças porque elas não têm mais uma vida. Pare e pense por um segundo e me diga, que homem de 35 anos vai levar um menino e ficar com ele por 30 dias? E pegar outro menino e ficar com ele por cinco dias em um quarto e nunca sair do quarto?“.

O apresentador da MTV News, Steve Blame, encerrou a entrevista dizendo: “A família Jackson respondeu dizendo que La Toya ganha dinheiro mentindo e provavelmente foi paga para se manifestar contra seu irmão”.

18 anos depois, ela disse ao The Daily Beast que “nunca acreditei nem por um minuto que meu irmão fosse culpado de algo assim. Quando falei com Michael sobre isso anos depois, ele me disse que sabia que não era eu dizendo essas coisas. Ele sempre soube que não era verdade”.